eXTReMe Tracker

sábado, dezembro 29, 2007

Youtube (os mais vistos do ano)

Obama girl




Chris Crocker (este gajo é muiiiiiiiiito gay)




Batalha no Krugger Park (o único video de jeito e de qualidade a figurar no top 3)

quinta-feira, dezembro 27, 2007

O meu voto de boas-festas para o ano

Aceite sem qualquer obrigação (explícita ou implícita) os meus melhores desejos para esta época. Que ela seja socialmente responsável, ecologicamente consciente, não exageradamente consumista, baixa em stress e praticada de acordo com as melhores tradições da sua confissão religiosa ou prática secular da sua escolha. Que seja celebrada com tolerância quer por todos os demais festejos quer pela opção dos que simplesmente não seguem qualquer tipo de costume. Nunca esquecendo porém, uma reflexão por todos aqueles que pela sua condição ou contexto não podem festejar esta época (ou pelo menos, não da forma como gostariam)

Desejo ainda um ano fiscal consideravelmente favorável, pessoalmente revigorante e medicamente descomplicado, tendo em conta, claro, o calendário gregoriano de 2008, embora com o devido respeito pelos calendários de outras culturas, cuja contribuição para a nossa civilização se revelou crucial.

Estas minhas felicitações são aplicáveis, independentemente da raça, cor, sexo, idade, nacionalidade, simpatia partidária/clubista, personalidade jurídica, confissão religiosa ou preferência sexual da pessoa a quem isto se destina, sendo que todas as felicitações aqui desejadas são também extensíveis à família do destinatário.

Este desejo de Boas Festas não está sujeito a qualquer tipo de revisão ou recurso e é de referir que qualquer alteração não autorizada ao seu conteúdo original, incluindo cópia, ou qualquer outra tentativa de o reproduzir para fins que não os seus, será devidamente sancionada por lei, no âmbito da protecção dos direitos de autor.

Espera-se que o desejo seja lido e recebido de acordo com os ditames da boa fé, sendo este mesmo válido por um período de um ano, ou até que se envie o subsequente desejo de boas festas. A garantia é limitada à substituição do desejo em caso de dano, desde que o pedido para tal seja devidamente formulado de acordo com a lei.

Com os melhores cumprimentos

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Rescaldo do Natal III

Quero agradecer a todas as minhas amigas e a todos os meus amigos as mensagens de boas-festas enviadas. Não tenho dúvidas que 99% das mensagens são personalizadas, e não decorreram de nenhum aproveitamento de alguma mensagem pré-fabricada que dá jeito nestas alturas e toca a mandar a 50 amigos, só tendo o trabalho de mudar o nome, e a forma da despedida.
Em todo o caso, partilho convosco as mensagens mais interessantes que me enviaram:


Mensagem "pré-fabricada-mas-com-estilo": Este Natal vou armar 1 árvore dentro do meu coração e nela pendurar, em vez de presentes, os nomes de todos os amigos e o teu vai lá estar! Feliz Natal!
Mensagem telegráfica: Feliz Natal!
Mensagem "parece-um-político-a-falar": Venho por este meio desejar um óptimo natal na companhia de quem mais amas e um ano 2008 repleto de realizações e felicidade.
Mensagem canibalesca: A vida tem dois sabores inconfundíveis: o da família e o da amizade. Esta é a melhor altura para os saborear. Feliz Natal e um Próspero 2008.
Mensagem "eu-cá-não-sou-de-salamaleques": Um natal cheio de alegria e um 2008 pleno de sucessos"
Mensagem "de-levar-às-lágrimas": Mesmo se neste natal não há prendas no teu sapatinho ou, se não há aquelas que tão desejavas, não faz mal porque alguém pensa em ti. Feliz Natal
Mensagem "Luís de Matos": Que a noite de Natal tenha o toque de magia que conheceste na infância: os sorrisos, o bom acolhimento, os presentes, a família...Um Feliz Natal

Rescaldo do Natal II

Abençoados dvds e Tv Cabo que nos dão várias alternativas, e ao gosto do freguês, que não apenas a programação soporífera dos generalistas. E pensar que há 10 anos atrás era tudo tão diferente...

Rescaldo do Natal I

Finalmente filmes de jeito que não o Sózinho em Casa

segunda-feira, dezembro 24, 2007

ELFINHA

Pois é, a uns tempos atrás eu e o Francisco aparecemos neste blog a fazer umas danças que upá upá. Agora é a vez da Belinha.

Ora vejam lá. Elfinha

Continuação de Boas Festas.

Música de Natal III

O repto foi lançado e a belinha não é menina para fugir a desafios:P


A escolha foi difícil, principalmente tendo em conta o facto de que o Felgueiras se antecipou à minha jogada e seleccionou a minha favorita...:), mas aqui fica uma que me deixa sempre com um sorriso nos lábios. :)

Bom Natal para todos!




PS: Esta também alegra o espírito... Mas achei por bem deixar só o link ;)

Bom Natal

Em nome da "família" do "uma espécie", quero desejar a todos um Santo e Feliz Natal. Este ano, provavelmente seremos o blog mais saudosista, porque hoje fui ao "sotão" vasculhar por entre as memórias que lá ficam esquecidas e que de quando em vez têm de ser recordadas. Hoje é um desses dias; retirado o pó dessa recordação compartilho com todos vós esta pequena prenda.
Está é de nós para vocês.



Somos o único blog que tem a honra de ter consigo o tão famigerado Coro de Santo Amaro de Oeiras.

Bom Natal para todos vós ohhhhhh ohhhh ohhhhhhs :)

Música de Natal II

Respondendo ao apelo do Francisco, e apesar de ter sido extremamente difícil fazer a escolha, vou recorrer a uma música que me recorda os tempos de infância. Portanto aqui vai.

sábado, dezembro 22, 2007

Músicas de Natal I

Aqui fica a minha preferida. Desafio a Anabela e o Felgueiras a deixarem a sua aqui.


Mercy

Votos de Natal/Fim d'ano I

Acho que ser vingativo é coisa muito feia, mas há momentos em que penso pra comigo "(...) que se danem as boas maneiras!". É o caso do Sporting-Paços de Ferreira de hoje à noite.
Há um ano atrás, uma mão escandalosa de Ronny foi validada como golo limpo, originando a primeira derrota da época em casa. Tá bem que não jogámos nada nessa noite, mas o pouco fair-play demonstrado pela equipa pacense, em particular, o referido jogador, e o treinador, o inenarrável Zé Mota, criaram-me uma sede de vingança que, espero, seja concretizada num regresso às goleadas das antigas. Pela vergonha causada, pelo título que ficou perdido, e já agora, porque não suporto o ar laparoto do Zé Mota, sempre de boné JCA posto em cima da moina durante a flash-interview.
São os meus votos.

quinta-feira, dezembro 20, 2007

As tuas melhoras Bruno!

Braga com distinção.

Apenas uma pequena nota. O Braga passou com distinção à próxima fase da Taça Uefa, acompanhando Benfica e Sporting na mesma competição. É um registo fantástico para as hostes bracarenses. Confirmando-se cada vez mais como a 4 equipa portuguesa mais forte em termos europeus, o Braga pode mesmo sonhar com um lugar ao sol, porque o futebol praticado está acima da média. Boa sorte para o Braga... Vamos ver se os arcebispos intercedem por eles!!!

Dêem-lhe com o "arsenal" todo.

Eu tinha de partilhar isto...

Pelas 2:06 do presente dia 20 de Dezembro de 2007 o Bruno disse:


"Estou farto de ouvir Pearl Jam!"



O tipo lá de cima terá ouvido as minhas preces?
Insanidade temporária ou milagre de Natal?

terça-feira, dezembro 18, 2007

Manifesto!

Há coisas que acho intoleráveis, se bem que até hoje (ainda mantendo alguma inocência) pensava que não eram, de todo, possíveis. Se existe uma "classe" que deve andar sempre um passo à frente da sociedade em termos de desenvolvimento é, sem dúvida, a dos engenheiros. Não quero com isto puxar a brasa à minha sardinha, mas claramente, existe não só um dever mas como o direito de nos mantermos na linha da frente. A engenharia existe para tornar mais cómodo o quotidiano das pessoas. Qual de vocês não usou hoje mesmo um aparelho nascido da visão, arte e engenho de um qualquer engenheiro?
Mas vamos ao que importa. Fiquei indignado com a resposta que obtive hoje por parte da Ordem dos Engenheiros que, no mínimo, se devia adaptar à realidade. Que a máquina a vapor foi uma grande invenção, ninguém tem dúvidas mas já ninguém anda (por exemplo) de comboio a carvão... Como é que é possível eu não poder entregar um documento através de mail? Como é que isto é possível? Desculpem-me os CTT, que ainda hoje prestam um enorme serviço à sociedade, mas não estamos na idade das cartinhas em papel avião... Poupem-me... Ou cartinha ou me dirigir as instalações da Ordem? Isto não é normal!!!
Já nem falo em Fax, porque até estes tendem a desaparecer, mas se calhar até me diziam para mandar por Fax, o que teria uma certa piada. Mas não me arrisco a essa gargalhada.
Eu já estou no século XXI, pelo menos apanhei a onda. Será que eles não apanharam? Ou para eles o mail é só para responder a certas questões e para enviar "bonitos" powerpoints?
É com estas e com outras que ponho em causa se valerá mesmo a pena fazer a inscrição...

segunda-feira, dezembro 17, 2007

O afastamento do futebol!!!

O "taco" (em substituição de relvado) da Henrique Medina ficou mais pobre... Esperamos que por pouco tempo. O jogador Bruno Ferreira devido a lesão, será hoje operado com carácter de urgência depois do agravamento da lesão que já o vinha a acompanhar há algum tempo.
Este jogador, formado na "cantera" do largo dos peixinhos, esse clube que tantas alegrias deu ao seus adeptos, sendo o primeiro clube a conquistar a taça esposendense de bairros tendo lugar de destaque no jornal da terra, começou a carreira como guardião, disputando o lugar com Francisco Velasco, que rapidamente se afastou das lides. Bruno continuou a defender "brilhantemente" (vá, não era assim tão brilhante) as balizas desta grande equipa e em conjunto com uma equipa "fabulosa" ergue várias vezes a taça de bairro. Depois, voltou-se para o futebol de salão onde registou uma quebra significativa de rendimento devido ao abandono da baliza para tentar um "lugar ao sol" na defesa, meio-campo, ou ataque. Em nenhum deles obteve grande destaque, apesar de ser uma importante peça nas manobras de jogo da equipa na qual se inclui. Não é um jogador que tenha sido agraciado com o mítico "perfume africano" que caracteriza alguns jogadores com quem "priva" habitualmente nos jogos da Henrique Medina.
Mas se as vezes acontece as melhores, ao jogadores medianos acontece ainda mais. E depois de uma lesão no cóxis que o afastou durante uns meses, agora uma lesão no pé que terá de ser sujeita a cirurgia. Com uns pés desses, acho que só mesmo nos Estaleiros de Viana do Castelo é que te consegues curar...
Boa sorte para a operação, os jogadores de Elite aguardam o teu regresso...

P.S. - Qualquer semelhança com a realidade não se tratá de pura imaginação

sábado, dezembro 15, 2007

Importa-se de repetir?

Há instantes, no estádio do Dragão, pergunta a um adepto do Guimarães

- Que achou da1ª parte? O Vitória está a surpreender ou já estava à espera disto?
- Está a surpreender e já estava à espera.

Informação de elevado interesse para a comunidade

Para quem não sabe, aqui fica a prova de que eles têm origens diversificadas e nós 3 opções de localização para os mandar.

8º17'12,12''S
29º17'03,18''L

40º18'25,40''N
49º40'45,11''L

8º40'57,62''S
29º09'07,34''L

quarta-feira, dezembro 12, 2007

when I'm not there

domingo, dezembro 09, 2007

Separados à nascença


Ideia claramente copiada do 31 da Armada

terça-feira, dezembro 04, 2007

Quero lá saber do presépio!

Este ano não vai haver presépio!...

Lamentamos mas:

- Os Reis Magos lançaram uma OPA sobre a manjedoura e esta foi retirada do estábulo até decisão governamental ;

- Os camelos estão no governo;

- Os cordeirinhos estão tão magros e tão feios que não podem ser exibidos;

- A vaca está louca e não se segura nas patas;

- O burro está na Escola Básica a dar aulas de substituição;

- Nossa Senhora e São José foram chamados à Escola Básica para avaliar o burro;

- A estrelinha de Belém perdeu o brilho porque o Menino Jesus não tem tempo para olhar para ela;

- O Menino Jesus está no Politeama em actividades de enriquecimento curricular e o tribunal de Coimbra ordenou a sua entrega imediata ao pai biológico;

- A ASAE fechou temporariamente o estábulo pela falta da manjedoura e, sobretudo, até serem corrigidas as péssimas condições higiénicas do mesmo, de acordo com as normas da UE.


Portanto podes divagar...

Um brinde ao trabalho de equipa.. este post tem a intervenção dos 3 ilustres contribuidores deste mui nobre blog.

"Leio a Playboy pela mesma razão que leio a National Geographic:
Gosto de ver fotografias de lugares que sei que nunca irei visitar...",
enviado por mail por FM a Felgueiras, que, por sua vez, divulgou em conversa de café e, insistentemente, via Messenger (em horário de expediente!).

E disse-me assim:
“Divaga! Oh divaga…” (tom meloso e solicitador)

Ora perante isto, não há como recusar. E também porque não tenho mais nada para fazer.

Numa primeira nota, tenho a dizer que acho um tanto ao quanto forçada a associação entre a National Geographic e a Playboy … Até porque, se nos cingirmos às espécies animais (porque as florzinhas não são para aqui chamadas) tratadas nas duas publicações, verificamos umas disparidades engraçadas. Se a primeira faz por norma referência a espécies em vias de extinção e apela à sua salvação, já a segunda tende a divulgar espécimes em clara expansão numérica cujas fotos gritam a “pulmões” cheios: Aniquilem-me! Ou mata-me de amor!

Mais: os pinguins, os ursos, as focas e tudo que é bicharada não ganham um tostão para posar e as únicas cirurgias decorrentes da vida de modelo a que são sujeitos são para implantação de chips que permitem a sua localização via GPS. Como um chip não faz aumentar o tamanho das mamas e o silicone não tem tecnologia GPS incorporada… nada a combinar aqui.

Mas isto digo eu que sou do contra. Até porque outros poderão facilmente alegar que há uns anos atrás foram publicados na National Geographic artigos sobre gado bovino e caprino. Logo, a associação será óbvia.

Relativamente ao desânimo implícito em “Gosto de ver fotografias de lugares que sei que nunca irei visitar...”, calma rapaziada! As viagens de avião estão cada vez mais baratas e os destinos desejados cada vez mais acessíveis. Low cost tickets, aplicáveis a ambos os casos. Cuidado com as taxas de combustível.

Agora o que pergunto é: Quem é que lê a (entenda-se: observa as fotos da) National Geographic e Playboy? Parecem-me dois acontecimentos mutuamente exclusivos. Ou então, demasiado tempo livre.


Felgueiras - beLIEve diz:
portanto podes divagar
Anabela diz:
já estou a divagar....
Anabela diz:
lol
Felgueiras - beLIEve diz:
Weeeeeeeeee
Anabela diz:
isto não está a correr nada bem...
Felgueiras - beLIEve diz:
entao?
Anabela diz:
já está.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Joshua Tree - O 1º Presente

Este foi, seguramente, o meu primeiro presente de Natal, dado de mim para mim... Não resisti e no dia de lançamento aproveitei para comprar a edição tão aguardada de Joshua Tree, 20 anos depois da original. E tenho a dizer que não fui propositadamente à Fnac para adquirir esta 'preciosidade', mas esta foi sem dúvida o catalizador de tal ida!!!

Adquirida a edição Deluxe, estive toda a tarde a roer-me por dentro e a trabalhar, não conseguindo desfrutar da mais recente aquisição. Mas, chegado a casa foi a primeira coisa que fiz, abrir a caixa e espantar-me com a sobriedade dos seus conteúdos e depois dar início a visualização do DVD. Até agora só consegui essa proeza e tive de a partilhar. Mas numa palavra, esta edição é de LUXO.

Soa-me na cabeça as palavras do Bono: "From us to You".
Obrigado U2 por este excelente "presente".

sábado, dezembro 01, 2007

O Walt Disney!!!

Há coisas na vida que nos acompanham por muito tempo, uma delas são os desenhos animados da Disney. Por mais que queiramos eles fazem parte do nosso imaginário e dificilmente não nos acompanharam durante a vida toda. O que muita gente não sabe é que o Walt Disney é português!!! E agora eu estou a imaginar as vossas caras de espanto, com alguns insultos a minha pessoa por estar a dizer isto...
Mas é a mais pura das realidades. Reparem só, imaginem todas as personagens da disney... Nenhuma delas tem mãe e pai, são todos tios ou sobrinhos uns dos outros. O tio Patinhas não tem irmãos, como pode o pato donald ser sobrinho dele? O Huginho, Zezinho e Luisinho também não têm pai nem mãe, mas são sobrinhos do Donald, sem este ter irmãos... Até o próprio Mickey (que tem uma voz fininha, eu acho que era o Ricardo, o guarda-redes da selecção, que fazia as dobragens) tinha dois sobrinhos, o Francisquinho e o Chiquinho sem ter irmãos, "and so on and so on". Ora depois de algumas horas (não muitas) a meditar, a única coisa que me ocorreu é que o Walt Disney é português! E adivinhem lá onde ele nasceu? Em Cascais, como é óbvio. Só lá é que toda a gente é sobrinha/o ou tia/o de toda a gente.
Mesmo assim, eu continuo a gostar da Disney, mesmo que a árvore genealógica seja uma grande confusão... Se calhar há ali uma série de incestos entre as personagens, mas ficava mal explicar isso aos petizes...

quarta-feira, novembro 28, 2007

E o 2º melhor presente de Natal para este ano é....?



Dia 3 de Dezembro. DVD. Mais cd. Quem já os viu ao vivo sabe porquê.

terça-feira, novembro 27, 2007

Peço desculpa

Este blog não diz palavrões, mas no presente estou num estado tal, que permitam-me largar um barbárico e sonoro FODZ! Obrigado.

segunda-feira, novembro 26, 2007

Entre Dias

Tarde de Domingo, coloca-se uma música na aparelhagem para acompanhar a vistoria dos mails. E não é que a vistoria teve de parar devido ao CD que lá foi colocado? Pois é...

The Cure, com a música In Between Days fez parar tudo, durante cerca de 3 minutos não houve mais nada, apenas ligação sideral com a música.



E o domingo já se foi!!! Perdido entre sábado e segunda!

domingo, novembro 25, 2007

Últimas de Barcelona

1. Barcelona-Huelva. Enormidade de estádio. Escoamento feito num ápice. Revista aos adeptos, zero. Controlo de lugares, zero. Ambiente dos adeptos, fraquito. Puxam pouco, e a cada decisao do árbitro mais controversa, é porque se trata de um "blanco". Jogo, fraco. Messi, a estrela, quase a conseguir golo de antologia. Bojan, novo puto-maravilha. Carlos Martins, único tuga a jogar, que também quase conseguia no início um grande golo a concluir arrancada na qual ultrapassou 4/5 adversários. Depois da sua saída, foi o descalabro do Huelva, com 3 golos de rajada do Barça.
2. Parque da cidade. Brutal. Ontem passeio de barco, onde conhecemos, para variar, mais uns tugas. Hoje, passeio de bicicleta. É impressionante a quantidade de pessoas a andarem de bicicleta, e também de lambreta. Aqui na cidade apoia-se e apela-se bastante aos transportes alternativos, gerando uma boa qualidade de vida.
3. Alternativo. Assim se pode apelidar a cidade. Vê-se de tudo. Coisa boa é o facto de no sábado, o metro funcionar 24h.
4. A cidade. Confesso que no início entranhei, mas agora estou a gostar bastante. Valeu o guia que me emprestaram. Depois dos 5-0 iniciais de Madrid, julgo que ao sprint Barcelona leva vantagem. Mas é preciso 2a ida a Madrid, com guia, para tirar dúvidas. No entanto, Barcelona é uma experiência sociologicamente diferente. Mas vale a pena.
Ole

sexta-feira, novembro 23, 2007

Hola!

Caros Felgueiras, Belinha, e demais visitantes,
Escrevo-vos de Barcelona, a caminho de mais uma jornada de turismo. Ontem primeira incursao por Camp Nou, para comprar os bilhetes para o Barcelona-Recreativo de Huelva. 30€ para ir ver o Varela, Carlos Martins e Beto. É bem pago....lol
Confesso que vou gostando de Barça aos poucos e poucos, mas neste momento Madrid vence por 5-0. As ramblas sao muito giras sim senhor, mas até certa hora. A partir das 23h qualquer semelhança entre as ramblas e a zona j nao é pura coincidencia.
A Sagrada Familia é uma monstruosidade, muito bonita, mas pagar 5€ para ver espetarem ferros...é que aquilo tá tudo em obras e a única coisa de jeito é subir lá acima e ter vista maravilhosa da cidade.
Depois fomos à Pedrera, última obra civil do arquitecto Gaudí. Aqui sim, vale a pena. Bom, também é verdade que cartao de estudante ajuda, senao pagávamos muito mais. Pelo caminho conhecemos uma velhota simpática de Serpa, com quem fizemos as visitas à Sagrada Família e à Pedrera, que nos pagou corrida de táxi. Mui bueno. Éramos os netos dela, dizia-nos. Gracias.
E bom, é tudo. Espero que convosco esteja tudo em ordem. Acho isto muito paradito a nível de posts.
Adiós

segunda-feira, novembro 19, 2007

Let's Dance!

Depois do Post do "Disco Night", apetece mesmo...

Disco night!

Aqui fica uma produçao em modo de homenagem e agradecimento aos colegas do blog... ;)

domingo, novembro 18, 2007

Sabor Especial!!!

A promessa foi cumprida, de ambas as partes... Certamente este chupa-chupa terá um sabor especial. Demorou, mas valeu a pena!!!

sábado, novembro 17, 2007

Quando é que estes gajos voltam cá outra vez???

Quando parecia que a Tour estaria dada por terminada no final deste ano, eis que dá-se a divulgação de concertos agendados para Março. Como se não bastasse, fica a nota de que mais concertos serão agendados. Por mim tudo bem. Com o excesso de festivais que se seguem para o ano (Rock in Rio, SuperBock, OeirasAlive, Sudoeste) seria vergonhoso que alguém não arranjasse maneira destes rapazes virem cá de novo. É que já estou com saudades.

Gosto disto...mas posso não gostar daquilo




A Clarisse vai lá vai, sim senhor :)

sexta-feira, novembro 16, 2007

O Pai Natal

O Natal ainda vem longe, mas já se notam as ruas ornamentadas... Prefiro não pensar no natal, e apenas sentir aquilo que de melhor o Outono nos dá: as árvores denudam-se, começamos a sentir aquele frio que nos arrepia a espinha, mas que sabe bem de quando em vez, o cheiro a castanha assada (pena que os assadores de rua estejam a desaparecer), a noite nos abraçar ternamente mais cedo... Provavelmente é uma das alturas do ano que gosto mais, não costumo gostar de coisas demasiado estáveis, daí o Outono ser uma época de eleição. Aliás, a primeira letra da minha curta carreira de letrista chama-se "Outono", "... não vivas no passado / o que foi feito já está...", ahahahahahahah (deprimente).
Mas nesta época somos assolados por uma figura mítica, uma figura que nos acompanha desde criança... O Pai Natal!!!
Ora o Pai Natal é uma personagem estranha, baseada no São Nicolau, catapultada para a fama por uma marca de refrigerante (não faço publicidade não paga) e que tenho dúvidas se este ano também não aparecerá vestido de Cor-de-Rosa em substituição do seu tão peculiar fato vermelho...
Eu pergunto: "Se existe o vermelho ferrari, porquê não existe o vermelho Pai Natal???", isto é discriminação!!!
Mas a particularidade desta personagem, prende-se ainda com o nosso estado evolutivo. E vocês perguntam: "Com o nosso estado evolutivo?"
Óbvio, quando somos crianças, acreditamos piamente que o Pai Natal desce pela chaminé, mesmo que esta tenha um exaustor e tenha para ai 50cm de largura. É fantástica e boa a nossa "ingenuidade Infantil". Como é que um gajo gordo que nem bola, com um diâmetro total de metro e meio, consegue passar por uma chaminé com três vezes menos largura, e ainda por cima o gajo desmonta o exaustor só para nós deixar as prendinhas... Aplausos para a generosidade e paciência deste homem. Falo em exaustor porque há casas que não tem lareira, mas mesmo nessas é engraçado, porque na noite de natal esta fica acessa, ou seja o gajo além de generoso e paciente é parvo, porque se vai queimar....
Depois deixamos de acreditar nessa personagem mítica, porque nos começamos a aperceber que a lareira até queima mesmo, que desmontar um exaustor é complicado, que fazer passar um gajo com 1.5m de diâmetro pela chaminé é impossível e que dar a volta ao mundo, num trenó puxado por várias renas, em que uma delas se chama Rodolfo e bebe 7up (fiz publicidade não paga, dassssss) é completamente surreal.
Mas apesar de tudo isto, com o aparecimento de miúdos na família ou até mesmo de descendência directa, voltamos a dar vida ao Pai Natal e passamos a contar a história de sempre, e em alguns casos a personifica-la. Mas pronto, acontece uma vez por Ano, porque no resto do ano o Pai Natal está não sei onde na Lapónia a fabricar brinquedos. Eu que pensava que os brinquedos eram feitos no mundo encantado dos brinquedos da Leopoldina!!! Fiquei abalado psicologicamente!!!
No final da vida, conseguimos parecer o Pai Natal, começamos a engordar, se deixarmos crescer a barba, se esta for branquinha, e se nos vestirmos de vermelho com um capuz vermelhito, digam lá que não ficam com grande pinta? :)


Acreditamos, deixamos de acreditar, somos e no final parecemos.
Porra Pai Natal, deixa de me perseguir!!!

terça-feira, novembro 13, 2007

Um País de Oráculos

Portugal é um país fascinante, fomos pioneiros nas descobertas, dividimos o mundo em duas partes e demos a pior ao Espanhóis (que souberam aproveita-la melhor que nós), batemos o pé ao papá aquando desse prodígio, perdemos o nosso quinto império e depois voltamo-nos novamente para dentro deste rectângulo Europeu, buscando mudar o nosso “fado”. Tornamo-nos depressivos, vestimos de preto, fizemos uma guerra sem sentido e eis que agora surgem na nossa “praça” certos Sebastianistas com teorias revolucionárias e com grandes palpites…

De país de conquistadores, descobridores e mareantes, passamos a ser um país de oráculos, onde toda a gente opina sobre tudo e toda a gente tem direito de antena. É claro que o maior oráculo de todos, o professor Marcelo tem a sua rubrica em horário nobre e em 30 minutos consegue resolver todos os problemas do pais sem recorrer a bola de cristal, incrível… Mas de tolo e louco todos temos um pouco, portanto deixemos o homem, ele já foi político, é professor… Ainda consegue ter uma réstia de credibilidade.

Mas gostava de falar de um oráculo, mais pequeno, que à falta de bola de cristal e de cartas de tarot vai lançando também umas achegas. Falo de Miguel Sousa Tavares, um advogado que nunca vi exercer advocacia, um escritor (dizem que bom, não li ainda o livro) que não se livra da fama de plágio, um portista sempre contra o sistema e também um opinante. Mas que senhor opinante. Não entendo, toda a gente fala sobre TGV, sobre OTA, sobre obras públicas, mas nenhum deles é engenheiro Civil, ou de outra engenharia. Onde andam esses? Se calhar esses andam a estudar para ver a melhor solução, enquanto gajos que se calhar não percebem patavina mandam uns bitaites sobre: deve ser na OTA, deve ser em Alcochete. Já chega!!! Agora o LNEC também já é posto em causa por ser do Estado??? Caramba, se é do Estado é porque não é credível, se o Estado entrega as coisas nas mãos de externos é porque se gasta imenso dinheiro e é só para alimentar interesses particulares. Ai Mário Lino, se estivesses caladinho quando devias… Presidente Cavaco tu é que fazes bem, espera para ver…

É difícil ser português!!!

“Ai Portugal Portugal
De que é que estás à espera
tens o pé numa galera outro no fundo do mar
Ai Portugal Portugal
Enquanto ficares à espera
ninguém te vem ajudar"

Não há castanhas grátis

E já que nos últimos tempos não se fala noutra coisa do que atropelamentos, vale a pena olhar para um caso, deveras cómico, que ocorreu este fim-de-semana. A pedido (6º comentário) da família do Uma espécie, o Nuno Markl comentou (já agora, bem que podia ter feito publicidade ao tal leitor com link a este estaminé...) os incidentes do Megamagusto que decorreu no Terreiro do Paço no dia de S. Martinho.
É de facto impressionante o "cada um por si" próprio do tuga neste tipo de acontecimentos. Poucos dias antes, a confusão instalara-se também à porta da TMN, a propósito da venda a 6€ de 200 e tal telemóveis topo de gama, aos primeiros 200 e tal que aparecessem lá.
Quando cheira a grátis, ou quase grátis, ninguém pára o tuga!


Esta sequência de imagens é deveras hilariante, porque põe a nu a falta de razoabilidade das pessoas, quando trata de querer apanhar o maior número de castanhas, arrastando o que lhe aparecer pela frente.
Para o pensionista abalroado, foi o azar de ter estado no local errado, no momento errado. É caso para dizer, que bela castanhada que o senhor arranjou....

Exmo. Sr. Primeiro Ministro

Conforme o pedido à Comissão de Avaliação PES nomeada por V.Ex., enviam-se os resultados do estudo efectuado e consequente parecer relativamente à “Implementação e propagação nacional da actividade lúdica multimédia Pro Evolution Soccer 2008”, no âmbito do Plano Tecnológico.
O presente estudo, por nós conduzido, do tipo transversal observacional, permitiu a obtenção dos resultados de seguida enumerados.
  1. O Pro Evolution Soccer 2008 (PES2008) incorre no risco de se tornar numa epidemia, com efeitos culturais e sócio-económicos devastadores para a população portuguesa, resultantes do elevado nível de adicção provocados.
  2. Por avaliação de uma amostra representativa, concluiu-se que a maioria populacional experimentou um clima de tensão e ansiedade extremos até ao lançamento oficial do PES2008, sendo que uma elevada percentagem, não resistindo a estes ímpetos, recorreu à ilegalidade para a obtenção antecipada do mesmo. Ora isto não pode ser positivo em termos de Saúde Publica ou Economia e Mercado Nacional.
  3. Após acesso ao PES, a implementação e difusão foi rápida e intensa, tendo alterado os hábitos culturais e ética de trabalho da população-alvo. Registaram-se algumas disputas com conduta antidesportiva. (Anexo 1)
  4. Verifica-se a existência de uma minoria populacional para os quais os efeitos adversos são mais acentuados, pois, recusando-se a adoptar o meio lúdico em questão, é alvo de constantes situações de ostracização e discriminação social. (Anexo 2)
  5. Resultante do descrito em 4., constata-se uma difusão de actividades hostis e um desenvolvimento de um clima de divergência social, culminando em guerrilhas inter-pessoais em ambientes anteriormente destinados à Unificação Universal mediante a partilha de teorias pacificadoras e copos cheios a esvaziar.

Sumariamente, constata-se que o único ponto positivo desta medida reside na incitação à abstracção e alienação da sociedade em relação à realidade política e económica actual, a níveis superiores aos produzidos pelas telenovelas da TVI, pelo que se congratula V.Ex. pelo alcance do seu objectivo prioritário.
Contudo, face ao referido em 1., 2., 3., 4. e 5., apoiado pelos Anexos, o nosso parecer é desfavorável, pelo que se aconselha a adopção de medidas correctivas e preventivas.
Assim, numa tentativa de amenização e diminuição de riscos e efeitos nefastos, propõe-se que:

  • Seja estipulada uma carga horária máxima semanal de utilização directa e referência indirecta do PES 2008, a ser controlada por banda magnética inserida no CU (Cartão Único, plano Simplex07), vigilância de meios de comunicação via Internet e escutas, nomeadamente telefónicas.
  • Á semelhança da organização dos campeonatos Europeu e Mundial de Futebol, o lançamento para o mercado de novas edições do PES seja feito com um interregno de quatro anos, de preferência em anos não coincidentes com os eventos supracitados.

Aproveita-se, ainda, para referir a necessidade de regularização do pagamento dos emolumentos para se proceder à oficialização do parecer.


Sem outro assunto,
Subscrevo-me com os melhores cumprimentos,
Pilgrim

Forganez, 13 de Novembro de 2007.




Anexo 1: Aqui não se vê, mas estes indivíduos quase andaram à pancada!




Anexo 2: A abstracção e discriminação são evidentes.









Um café e uma boa dose de estupefacção

Cheguei agora do habitual cafezinho no Redinho onde tive oportunidade de por a leitura em dia...
Este meu processo de actualização foi interrompido por um: "Que foi Belinha? Pareces... humm... estupefacta!"
Na altura o que tinha em mente era algo mais semelhante a "completamente aturdida e aparvalhada por tamanha besteira que acabei de ler num artigo que até aqui estava a ser interessante", mas visto que isto subentendia algum nível de surpresa ( e nos dias de hoje já nada é surpresa para ninguém) e porque, mais importante, “aparvalhada”não é uma palavra que se queira associada à nossa pessoa, talvez "estupefacta" seja uma descrição mais adequada. Bem não sei, não sou versada em matérias linguísticas e muito menos em semântica, o que é facto é que naquele momento toda eu era comichão.
É que num artigo intitulado Casamentos (In) Convenientes da Visão, salta à vista uma citação que passo a transcrever (de momento não me lembro do nome da senhora que o disse, depois faço um edit à coisa):



[edit]


Para estes eczemas de causas idiopáticas (de idiota, mesmo) não há Halibut que nos valha…
Coçou-se, não se desenvolveu assunto e a coisa ficou por ali.

E eu que queria que o meu primeiro post fosse sobre o PES2008...

segunda-feira, novembro 12, 2007

Quando os Beatles se tornaram Beach Boys

Acontece-me quando oiço repetidamente uma banda de que gosto muito, improvisar uma setlist para um hipotético concerto, fosse o caso de este vir a suceder, ou que poderia ocorrer caso essa banda ainda existisse.
Foi mais ou menos isso que me aconteceu enquanto estava a escutar o Love dos Beatles. O repertório deles é tão rico e variado que tanto poderia dar fazer um concerto só de rockalhada, como um outro apenas à base All you need. Mas como gosto mais da versão rockeira, pensei num início de alinhamento que fosse a abrir. E a primeira música que me ocorreu, potencialmente a mais consensual entre os meus vários estados de espírio foi a Back in the USSR. Tem um início eléctrico, que certamente deixaria eufóricos os fãs, sedentos de verem os Beatles após várias horas de espera para ver o concerto.
Ouvi várias vezes a Back in the USSR, o que só confirmou a minha escolha, quando de repente outra teoria me assola a mente. É que a música é muito, muito Beach Boys (designadamente, a partir do min 1.05), para não dizer claramente inspirada. Pensei que talvez fosse um devaneio meio, mas a desconfiança foi ficando até que à partida para este post, em que queria partilhar esta minha suspeita, decidi fazer uma search pela net. E qual não é o meu espanto quando encontro referências aos Beach Boys sobre esta música...
Segundo o wikipedia, Back in the USSR é um bocado paródia à California Girls dos Beach Boys. Ora atentem portanto a partir do min 1.05.



Segue-se a California Girls



Ora bem, escutadas uma e outra confesso que à partida não vislumbrei grande semelhança. No entanto esta existe se considerarmos que California Girls é uma homenagem à Califórnia e às suas babes, sendo Back in the USSR uma homenagem à Rússia. Isto de acordo com os exegetas da literatura dos Beatles. Sendo esta época marcada pela Guerra Fria, obviamente, tratou-se de uma paródia.

Mas a minha teoria não fica inválida, parece-me. O estilo musical Beach Boys está lá. Corrido, e vibrante. Mais do tipo Barbara Ann.



Disso não tenho dúvidas. Os uh-uhs são claramente decalcados dos Beach Boys. Tenho pena de enquanto pertenci a uma banda não ter levado esta música para as nossas jam sessions, mas abençoados karaokes, ahah...

domingo, novembro 11, 2007

Barriguinha???

"
Estudo norte-americano diz que não faz mal ter uns quilos a mais
09.11.2007, Teresa Firmino

Quem tem excesso de peso poderá morrer menos de alguns cancros do que... as pessoas com peso normal. Mas isso não é sinal para avançar para a despensa

Aqueles quilinhos a mais que muita gente lhe diz que tem de perder, afinal pode até deixar-se ficar com eles. Até lhe podem ser benéficos, caso tenha infecções ou seja submetido a uma cirurgia, funcionando como uma reserva de recursos e fazendo com que acabe por viver mais tempo. Em linhas gerais, este pode ser o resumo de um estudo sobre a relação entre o peso corporal e as principais causas de morte nos Estados Unidos, mas que está a causar polémica.
A equipa de Katherine Flegal, dos Centros para o Controlo e Prevenção das Doenças dos Estados Unidos, lançou a confusão na última edição da revista Journal of the American Medical Association (JAMA), depois de ter analisado décadas de inquéritos sobre saúde e nutrição, à procura de uma associação entre as categorias de índice de massa corporal (IMC) e as várias causas de morte dos norte-americanos. Diz a equipa que, afinal, o excesso de peso não está associado a um aumento da mortalidade devido às principais causas de morte, à excepção da diabetes e doenças renais, para as quais esses valores aumentam ligeiramente.
Quem tenha um excesso de peso moderado poderá até morrer menos de alguns cancros do que as pessoas com peso normal, uma conclusão surpreendente. Quer dizer que, depois de tantos anos a ouvirmos falar dos riscos do peso excessivo, até podemos ser ligeiramente gordos que não faz assim tanto mal? Sim, podemos, segundo este estudo, que analisou os dados relativos a milhões de pessoas, coligidos desde os anos 70.
De facto, nos cancros não relacionados com a obesidade (pulmões, pele ou linfomas), nas doenças respiratórias, em situação de ferimentos e infecções em geral, as pessoas com excesso de peso (mas sem serem obesas) até parecem estar mais protegidas do que as têm um peso normal. Para as doenças cardíacas, o estudo não encontrou diferenças estatísticas entre as pessoas com peso excessivo e normal. Ter uns quilos a mais, conclui ainda o estudo, nem sequer aumenta muito o risco dos cancros relacionados com a própria dieta, nos quais se incluem o cancro do cólon, da mama, útero, pâncreas, esófago ou rins.
Como se explicam estes resultados, a equipa não sabe dizer ao certo. Mas tem algumas suposições: "O excesso de peso não está fortemente associado a um aumento do risco de cancro ou doenças cardiovasculares e pode mesmo ser correlacionado com uma melhoria da sobrevivência em condições adversas, como infecções ou procedimentos médicos. É provável que estes resultados se devam à presença de maiores reservas nutricionais ou de massa magra que acompanham o excesso de peso."
No entanto, a obesidade não é sinal de boa saúde, o que este estudo volta a confirmar. Os obesos morrem mais de doenças cardiovasculares, renais, de diabetes e vários tipos de cancro associados à obesidade.
Boas notícias para Portugal
Perante estes resultados, as reacções dividem-se. "É ridículo dizer que não existe um risco aumentado de mortalidade por excesso de peso", declarou Walter Willet, professor de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública de Harvard (EUA), citado pelo jornal britânico The Independent.
Outros consideram que as taxas de mortalidade não dizem tudo sobre os problemas causados pelo peso a mais e a obesidade, como JoAnn Manson, especialista em medicina preventiva do Hospital Brigham and Women"s de Boston. "A saúde vai muito para lá das taxas de mortalidade", disse a investigadora ao New York Times, acrescentando que outros estudos estabelecem uma relação entre o excesso e peso, a obesidade e um grande número de doenças.
Também para Barry Popkin, da Universidade da Carolina do Norte, o estudo preocupa-se mais com as taxas de mortalidade do que com a qualidade de vida de quem se mantém com o peso controlado.
Pedro Teixeira, professor de Nutrição e especialista em obesidade da Faculdade de Motricidade Humana, de Lisboa, olha para o estudo com maior distanciamento, considerando que traz boas e más notícias. "As más notícias é que confirma o que já se sabia para os níveis mais avançados de obesidade. Aos esses níveis corresponde um risco de morte acrescido de quase todas as causas de mortalidade. Há uma relação clara."
"São boas notícias para a larga maioria de pessoas com excesso de peso, nomeadamente em Portugal, onde temos 40 por cento de adultos com peso excessivo. Nestas pessoas em risco de obesidade, mas que ainda não são obesas, o risco de mortalidade não está aumentado, com a excepção do risco associado à diabetes", diz o especialista, também secretário-geral da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade. Por estas razões, Pedro Teixeira considera que este estudo permite fazer algo muito importante: "Prevenir que esses 40 por cento de portugueses adultos venham a desenvolver obesidade, sem histerias nem alarmismos."
Enquanto os grandes obesos precisam de procurar tratamento e tomar medicação, os outros têm alternativas, refere ainda Pedro Teixeira: podem mudar para um estilo de vida que não os faça saltar para a obesidade, optando pela actividade física e uma alimentação equilibrada. "Mas é preciso que a sociedade crie condições para que isso seja fácil. É preciso ter à disposição da comunidade programas de prevenção que ensinem as pessoas a mudar de comportamento." Como? Os centros de saúde devem ter equipas multidisciplinares que respondam a este problema, a indústria alimentar deve elaborar rótulos claros e a de restauração deve indicar que refeições têm um conteúdo calórico elevado.
Se medidas como estas forem adoptadas, é provável que muitos daqueles com excesso de peso nunca venham a juntar-se aos dois a três por cento de portugueses adultos que já são obesos."

In Público

Melo, fala agora da minha barriguinha, vá, fala? Afinal parece que estou mais protegido e não preciso dos bifidus activos ou do l-casei iminutas... Afinal a ter um quilinhos a mais ainda compensa...

sábado, novembro 10, 2007

Morte ao Sol



Uma das melhores músicas portuguesas feitas nos anos 80...

quinta-feira, novembro 08, 2007

E a melhor prenda de Natal para este ano é?.....

:)

Porreiro...

Eng. Gualdino: "Já não sei que mais ver na Net, é o degredo" (risota)
Diálogo:
Pessoa 1 : "-Eu tenho o Fox, o Fox Life, o Fox News...
Pessoa 2 :"-Ah eu tenho o 'FireFox'!!!"
(risota geral)

Situação:
Pessoa 1 atira uma pen disk para a pessoa 2 e diz:
"Caiu-te um byte!!!" (risota geral)




domingo, novembro 04, 2007

Boas Vindas

Atenção!!! Aviso à população.

O Blog conta com três "escritores" de alto calibre...
Depois de várias negociações a Belinha junta-se aqui ao estaminé, para de forma salutar vos brindar com toda a sua alegria e sabedoria...
A comemoração do 1º ano deste blog (uma referência entre os demais, será?) está assim em marcha, com mudanças no aspecto, com novos "escritores" e mais surpresas, fiquem para ver.

Pilgrim é a Belinha.
Seja bem-vinda!

Em grande

Nicolas Sarkozy é a antítese dos últimos Presidentes franceses que conhecemos até agora. Inteligente, moderno, cativante e, não menos importante, americano. Também é conhecido pelo feitio algo temperamental, que se nalguns casos é contraproducente, noutros é exemplar. Como foi o caso da entrevista ao famoso programa 60 minutos. Durante a entrevista a jornalista lembrou-se de lhe fazer perguntas sobre a sua esposa (hoje ex-esposa) que não vinham nada ao caso. Sarkozy, educadamente, respondeu-lhe, mas como ela teimava em insistir no assunto, decidiu dar por terminada a entrevista. Uma saída em grande. À Santana Lopes como diriam outros.





Noutro plano, destaque também para a resposta cortante de Fred Thompson a Michael Moore. Fred Thompson, ex-actor, é senador republicano que está a concorrer às Presidenciais norte-americanas. Ora, sucede que Fred criticou a ida de Michael Moore a Cuba a propósito do seu recente documentário Sicko. Moore não gostou e criticou Fred Thompson sobre quem disse também violar o embargo norte-americano a Cuba por fumar charutos de lá, tendo-o desafiado para um debate. Segue-se a resposta de Fred Thompson:




Estes 40 segundos de humor do melhor devem ter feito mais pela sua candidatura do que qualquer outra iniciativa...

sábado, novembro 03, 2007

Escola: pública ou privada?

A recente divulgação do ranking das escolas não trouxe nada de novo, confirmando aquilo que toda a gente sabe, ou seja, é nas escolas privadas que se verificam os melhores resultados escolares, sendo estas centros de excelência e preferência por parte de muitas famílias, nomeadamente, as de maior posse. No entanto, isto não invalida que na escola pública não se encontrem bons exemplos.
Fiz toda a minha carreira escolar (primária, ciclo, liceu, faculdade) no ensino público, e com muito orgulho! Guardo com muita gratidão os meus anos passados na escola, pelos conhecimentos aprendidos, experiências adquiridas, amigos e amigas intemporais feitos e, claro está, por professores que foram autênticos mestres, simbolizando a magnimidade do que deve ser a escola na formação da pessoa.
Mas, claro está, que não depende apenas da motivação do aluno e da competência do professor o maior ou menor sucesso escolar. Com efeito, há outros ponderáveis que importa equacionar. A estrutura familiar, o contexto social onde se está inserido. Com efeito, não é a mesma coisa estudar com colegas que também eles são ambiciosos, o que puxa por nós, do que estudar com colegas com poucas ambições. E se for esse o segundo caso, entra-se numa espiral em que os resultados só podem ser modestos. Com turmas pouco ambiciosas, não há como exigir muito dos alunos, e a preparação destes ressente-se. Por isso é que o ensino público é mais frágil porque não pode haver selecção de alunos, ao contrário de muitas escolas privadas que conseguem reunir apenas a nata.
A inversão dos rankings importa uma empreitada que não vai lá apenas pela redução de exames ou o facilitismo do não chumbo pelas faltas. É mais estrutural. Só que isso implica uma acção muito forte do Estado, com o compromisso de todos os agentes (Escola, autarquias, famílias), algo que se avizinha difícil num ambiente como é o de Portugal, em que para se tomarem medidas radicais visando resultados radicais, ninguém está para isso.
Lembro-me de uma vez na faculdade um professor ter-nos perguntado como correra o teste. Resposta unânime "difícil...puxado...complicado" ao que ele respondeu "ainda bem" por entender que assim os alunos eram respeitados. Um teste que fosse todo ele fácil significaria que não esperaria muito dos alunos, não respeitando a qualidade que estes devem e se propõem ter. Nunca mais me esqueci dessa lição. Toda ela cheia de razão. E é daí que vem um dos grandes defeitos do ensino público. Ao reduzirem-se exames, ao imporem provas globais mas que não contam para nada nas notas, ao não chumbar um aluno por faltas injustificadas, a escola sai muito mal, porque em vez de preparar os futuros homens e mulheres de amanhã, está a dar sinal de que com pouco esforço também poderemos lá chegar. E esse princípio, jamais, será aplicado no ensino privado.

Ciclos!

Por mais que queiramos uma coisa, ela só nos será concedida se assim o destino o ditar. Pensava que o destino podia ser construído e que o poderíamos mudar a nosso belo prazer. Pelos vistos não!!! Ao que parece somos mesmo "marionetas nas mãos de Deus"... Quando menos esperamos as coisas acontecem, quando já provavelmente não lutamos por elas, elas surgem e lá voltamos nós ao campo de batalha. No fundo o mundo não conspira contra nós, o mundo quer é brincadeira, portanto vamos brincar, como "bola colorida entre as mãos de uma criança".
Vamos ver no que dá. No fundo vamos dançando ao som da música, pode ser uma "Slow Dancing"?
Mr. GmI, toca a inalar um bocado de hélio (private joke)...

quinta-feira, novembro 01, 2007

Novembro

Agora com os dias mais curtos, em que mete uma aflição chegar às 5 horas da tarde e já tar a escurecer (cenário que nos acompanhará nos próximos meses) o mês de Novembro ficará marcado pelas primeiras compras de Natal (os cenários de enfeite e iluminação nas ruas já aí estão) e, sobretudo, pela seguinte visita:



Depois de Madrid, segue-se a Cidade Condal, numa visita que se espera frutífera, atendendo às magnânimes opiniões de quem já lá foi e nunca se cansa de voltar, passando igualmente por conseguir assistir ao Barcelona-Recreativo de Huelva que se jogará nesse fim-de-semana, pese embora a malta que vai sermos todos madridistas.


domingo, outubro 28, 2007

Só quero é ser feliz

sexta-feira, outubro 26, 2007

Diálogo possível

Putin: Zé, como te estava a dizer, aquele aparato policial todo tinha de ser. Tu sabes que eu sou pior co rasteirinho....
Sócrates: Foi muito porreiro ter vindo ter aqui connosco. Porreiro, pá!

segunda-feira, outubro 22, 2007

Bravissimo!


O campeonato de F1 deste ano foi dos mais emotivos, polémicos e excitantes de que há memória. No entanto, não é menos verdade que a bem da verdade desportiva, e da justiça (se é que a justiça pode vingar numa competição marcada também e muito pela sorte) só um corredor se poderia sagrar campeão. E logo o mais irregular, e menos perto de o conseguir, à partida para a última prova no Brasil.
Mas o destino tem destas ironias, ou se preferirem, Deus escreve direito por linhas tortas, e num grande prémio em que tudo saiu perfeito à equipa, foi a Ferrari quem riu por último, e riu melhor.
Não duvido que este título foi dos mais saborosos dos últimos 5, 10 alcançados pela equipa.
Apesar de não ser grande, grande fã de F1, sempre torci pela Ferrari, e neste fim de ano, é das poucas alegrias desportivas que posso ter. A última agora seria o Sporting apurar-se para a próxima ronda da Champions. Não será fácil, mas é acreditar, como o fizeram na Ferrari...

domingo, outubro 21, 2007

Sugestões aceitam-se....

Quem costuma vir a este "estaminé" regularmente, deve estranhar a falta de Posts que caracterizou a semana transacta. A nossa "parvoíce" esta semana esteve em baixa, é como as marés (private joke)... Mas aproxima-se, em velocidade de cruzeiro, o 1º aniversário do Blog, e aceitam-se propostas para os festejos.
Há quem fale em festas de arromba, há quem seja mais contido e se fiquei apenas pelo bolo carregado de creme e massa folhada, de uma qualquer pastelaria, com uma tímida velinha, há quem pense numa manifestação para o encerramento do mesmo (quanto a mim uma opção plausível pois não acrescentamos nada à sociedade, ou acrescentamos?).
Quanto a nós, existe um pequeno projecto para o 1º Aniversário. É mais uma espécie de porra nenhuma o que surgirá dali, mas isso vocês já devem estar habituados. Aguardem pelos desenvolvimentos futuros...

sábado, outubro 13, 2007

ShowCase

Há coisa que podem superar o final de tarde desta última Sexta-feira, mas não muitas. Destino traçado para a Fnac do NorteShopping onde os Clã fariam a apresentação do álbum Cintura (o qual já falei neste Blog). Foi chegar ao "norte", estacionar o carro e em passo acelerado me dirigir à Fnac, esperando eu uma enchente. Tal e qual (ressalva para o Jornal que nos 'deixou' faz uma semana), o café encontrava-se quase à pinha, mas lá consegui ir furando e arranjar um bom lugarzito, em pé claro está . Antes do concerto ainda deu para me cruzar com a Manuela Azevedo...
Os Clã fizeram versões mais intimistas de algumas canções, de forma a adequar as mesmas ao espaço. E que bem que saíram. Fiquei a saber que muito provavelmente o segundo single do cintura será: "Sexto Andar".

SetList: "Vamos esta Noite", "Fábrica de Amores", "Ponto Zero","Sexto Andar", "Pequena Morte", "Tira a Teima", "Utilidade do amor", "Adeus Amor(Bye, Bye)"

Continuem, que dia 27 estarei novamente num concerto vosso.

Bravo

Mariza cada vez mais a caminhar para uma internacionalização sem igual. Desta feita a encerrar o programa de quinta-feira, "Late show", com David Letterman, um dos mais consagrados apresentadores norte-americanos.


Pegamonstrix

Poderia ser mais um personagem saído do livro de aventuras de Astérix. Mas não. Trata-se de Sebastien Chabal, jogador da selecção francesa de rubgy.
Se a beleza pagasse imposto, este homem seria, garantidamente, um paraíso fiscal....


Mas que rico tombo

terça-feira, outubro 09, 2007

Jogo de "Cintura"

Por estes dias adquiri o novo álbum dos clã, "Cintura". Depois de 4 álbuns de originais estava expectante em relação a este lançamento. Tenho todos os cds anteriores, tenho quase duas mãos cheias de concertos ao vivo desta banda. São vários anos a acompanhar a sua carreira...
Posso dizer que fiquei "viciado" no single, 'Tira a Teima' e fiquei ainda com mais "apetite" quando os vi nas "Noites Rituais", nos Jardins do Palácio.
O álbum é extremamente viciante, as 3 primeiras músicas são fantásticas. "Vamos esta noite" é uma das minhas favoritas, foi amor à primeira escuta...
"Adeus Amor", "Sexto Andar", "Amuo" e "Utilidade do Humor", foram mais difíceis de "digerir" mas ocuparam o seu lugar...

Os Clã, estão a ganhar, com todo o mérito, o lugar que lhes pertence por direito e cada vez mais se assumem como a banda com mais consistência no panorama nacional.

Vamos esta noite???

"Vamos
Para a montanha russa
Vamos
Ao carrossel
Vamos
Subir o Pão de Açucar
Vamos juntos
Lamber o Céu

Vamos
Dançar até cair
Juntos vamos
Morrer de rir

Esta noite é só pra nós
Hoje não terá depois
Hoje não terá porquês
Virem comigo
Até ao fim
Para o fim do mundo

Vamos
Perder a hora certa
Vamos
Pisar o chão
Vamos
Deixar a porta aberta
Juntos vamos
Para Plutão

Hoje não terá amanhã
Hoje o mundo é nosso clã
Hoje não terá talvez
Esta noite é para vocês
Virem junto
Até ao fim de tudo"

domingo, outubro 07, 2007

sábado, outubro 06, 2007

Ainda não fui à bola com esta música

Ainda por cima, o homem de cada vez que diz "mais, mais" parece estar com prisão de ventre....


sexta-feira, outubro 05, 2007

República

5 de Outubro de 1910, um punhado de "velhos republicanos", proclama a instauração da República Portuguesa. José Relvas anuncia da varanda da Câmara Municipal de Lisboa o "nascimento" da República, depois de algumas tentativas falhadas a Norte do País para a instauração da mesma.

Assim nasce uma nova bandeira, um novo hino, um novo Portugal. 97 anos depois, vivemos num país com alguns problemas estruturais, mas que não compete só aos governantes resolver, compete a todos. Porque as mudanças são feitas por grandes homens e mulheres, façamos também mudanças para tornar o País mais competitivo e sair do marasmo que muitas vezes nos deixamos mergulhar.

Viva a República, Viva Portugal!!!

quinta-feira, outubro 04, 2007

While my guitar gently weeps

Hoje de manhã, enquanto ouvia o Love dos Beatles deparei-me com uma música que nunca tinha dado grande atenção. E não é que agora fico na dúvida se não será a minha preferida de toda a carreira dos Beatles???
De autoria de George Harrison (o mesmo de grandes baladas como Something), While my guitar gently weeps é de uma construção melódica fantástica, e prova como os Beatles foram galácticos nos seus tempos.
Não encontrando versão tocada pelos fab-four deixo-vos com esta, não menos sentida e emotiva, aquando do concerto de homenagem ao George Harrison, falecido um ano antes. Sem palavras.







Adenda: Alguém comentava no youtube que Eric Clapton também deveria ter ido para Beatle. Vendo mais um bocado do concerto, é de facto impressionante a química que estabeleceu com Sir Paul Mcartney.
Não via química tão boa desde o Somebody to love dos Queen interpretado pelo George Michael.


Os meus clubes

Em semana de competições europeias, partilho aqui os meus clubes preferidos dos vários campeonatos desta Europa fora:

Portugal - Sporting CP
Espanha - Real Madrid
França - Marselha
Alemanha - Bayern Munique
Itália - Juventus / Roma
Holanda - Feyenoord
Inglaterra - Arsenal
Escócia - Celtic Glasgow

quarta-feira, outubro 03, 2007

Alguém reparou?

Alguém reparou no contador de visitas? Não? Atingimos as 5000 visitas, weeeeeeeeeeeeee.

E pronto, agora vou tomar os comprimidos! É que isto passa... :)

terça-feira, outubro 02, 2007

Só te queria dizer.....





P.S: Isto parece que não anda fácil pra estes lados, hehehe...Mas tudo pode mudar. Exemplo? Esta noite fiquei a saber o que é o Polga marcar um golo, e até há poucos minutos atrás estava convencidíssimo de que o Stojkovic desta noite e o Stoijkovic do campeonato não eram a mesma pessoa. Mas disseram-me que não....

De mim para ti...

Todos vivemos de ilusões, talvez eu seja uma ilusão para ti, talvez tu o sejas para mim, mas vivemos o dia a dia em busca dessas ilusões que de certa forma nos preenchem, nos fazem sentir vivos, únicos... uma esperança, uma forma de amar...ou não....

A vida é frágil, curta rápida, os momentos de felicidade não compensam a infelicidade sentida por isso perdemo-nos nas pequenas coisas que caracterizam a vida, que nos caracterizam.... Um sonho, uma fantasia, corremos, saltamos, amamos, choramos; será sempre essa a sequência correcta dos acontecimentos? que seja.... pelo menos valeu a pena sentir o que sentimos, amar ou ser amado, tocar, desejar, rir, sorrir e chorar... eu sinto-me vivo, luto, não baixei os braços.... isto é para todos e só para ti, através de todos... amigos? hoje... e sempre... só? só depende de ti…

Esta é para ti

(help me enlarging my world every single day, so i can help you enlarge your world too)

segunda-feira, outubro 01, 2007

domingo, setembro 30, 2007

Karts of fire!!!

Dia 07-07-2007, a malta juntou-se para dar largas à condição de piloto... Alguns saíram-se melhor que outros, mas nem toda a gente é um "Hamilton". A minha prestação nem foi muito má, tendo em conta ser dos mais "pesados" e estar a competir com Kart de mesma cilindrada. Portanto um honorifico lugar, no meio da tabela não ficou nada mal!!! A vitória sorriu ao Nuno, que mostrou estar "ai para as curvas" e demonstrou ser um às do volante. Os corredores desta saudável competição foram : Nuno, Tó, Machado, Hugo, Beto, Marado, Aires e eu. Nota para a excelente participação da Belinha, na gravação do video que deu origem a esta produção, que deixo a seguir, desta aventura a alta velocidade...

Não sei, mas este video tem qualquer coisa de Armageddon... Parece que estamos a chegar do espaço e que conseguimos salvar o mundo!!!

sábado, setembro 29, 2007

Zooropa


Há já muito, muito tempo que não ouvia um disco dos U2 do princípio ao fim. Depois de todo o consumo que representou a fase "Vertigo Tour" seguiu-se um período de nojo, que ainda dura até aos dias de hoje, sendo pontuado por um regresso rápido (de vez em quando) a uma ou outra música que por qualquer circunstância deu vontade de ouvir. Agora, um disco, do princípio ao fim, já lá vai imenso tempo.
Hoje, ao acordar, e porque não me apetecia levantar da cama, decidi ficar por lá um pouco mais, mas não sem ter algum ambiente de fundo. Assim, levantei-me, peguei no amontoado de cds espalhados na prateleira, e salta-me logo de início, à vista, o Zooropa. Parei por aí. Era mesmo esse que queria ouvir.
Zooropa é um álbum que ainda hoje divide a comunidade U2niana. Creio mesmo ser o único álbum que está nos antípodas. Por um lado, há quem o ponha nos melhores 3 de sempre. Por outro lado, há quem o considere o álbum menos conseguido da discografia dos U2.
Pela minha parte, quanto mais ouço, mais certo fico de se tratar de um dos melhores álbuns de sempre dos U2, ainda mais arrojado do que Achtung Baby. Eu sei que poderá parecer disparatado, afinal, Achtung Baby é o meu álbum preferido, e marca um corta radical com os U2 dos anos 80. Mas se pensarmos que na euforia de Achtung Baby, numa digressão em pleno andamento, foi de facto ousado os U2 terem aproveitado um intervalo e irem para estúdio. Compôr novas canções é certo, mas quando se poderia estar a preparar mais do mesmo, eis que na esteira do experimentalismo bem sucedido de Achtung Baby, decidem ser ainda mais experimentalistas e compõem canções que inauguram um universo musical ainda não explorado na sua carreira. Não foi, portanto, surpresa quando meses mais tarde vencem o grammy de melhor álbum...alternativo!
Zooropa é um disco em que o todo é de facto muito bom, e tem grandes, grandes canções. Desde logo, Stay, uma das minhas 5 músicas preferidas de toda a carreira deles, e aquela em que melhor me safo a cantar em karaokes. Depois, Lemon e Numb, músicas que representam bem o experimentalismo mais experimental que significa Zooropa. Segue-se um punhado de excelentes canções (Babyface, Dirty Day, Daddy's gonna pay for your crashed car, The first time) terminando no espiritual e religioso The Wanderer, cantado pelo lendário Johnny Cash.
Foi muito bom, depois de longa ausência, regressar a Zooropa e relembrar tudo aquilo que me fez gostar dele, e ficar novamente encantado por ver que os U2 naquela época eram de facto os maiores!

Assim, não íamos a lado nenhum!

Como simpatizante social-democrata, fico aliviado por Marques Mendes não ir a eleições. Estava na cara que nas próximas eleições legislativas Sócrates derrotaria Mendes por larga margem, e foi perante esse espectro que, numa derradeira oportunidade de se pronunciar, o partido achou por bem, enquanto é tempo, mudar de protagonista. Pode ser que assim tenha melhor sorte. É complicado, mas sempre será possível obter um resultado mais lisongeiro.
Do consulado de Marques Mendes fica a atitude meritória de dignificar o combate político, não aceitando candidaturas de candidatos com problemas judiciais (se bem que mal ao não distinguir entre arguidos de crimes ocorridos em mandatos e arguidos por outros motivos quaisquer), por contraponto à falta de estofo na liderança da oposição. Por outro lado, o modo como se desembaraçou de Santana Lopes, se por um lado granjeou apoio dos notáveis, por outro suscitou o forte repúdio de certa falange que, como se viu, acabou por virar-se para Luís Filipe Menezes, estando hoje a festejar com um sorriso ainda mais largo na cara.

Quem mais chora, mais mama!


E à segunda, foi de vez! Luis Filipe Menezes venceu Marques Mendes, e a partir de agora cabe-lhe, nesta ponta final de legislatura, tomar a liderança da oposição e fazer frente a Sócrates.
Não se afigura tarefa fácil, porque há já muito tempo que o PSD, do modo como está, perdeu um bocado de identidade, e se muitos não andavam contentes com Mendes, não é menos verdade que outros tantos não se revêem na postura de Menezes. Uma coisa é certa, o partido sairá a perder.
Sobretudo, depois desta campanha pouco esclarecedora, e bem exemplar do pior que a política tem (as manobras de bastidores para conseguir mais votos, ou mais apoio).
Mas entre o estilo apagadíssimo de Mendes, e um estilo mais trauliteiro, de alguém que tem obra de mérito feita e é mais duro a fazer oposição, só podia ser esta a escolha do partido.

terça-feira, setembro 25, 2007

(Re)lembrar...

Há momentos em que algumas músicas fazem mais sentido, por estes dia voltei a colocar o "Grace" (Jeff Buckley) a rodar no carro, o que me deixou deveras fascinado. Ouvir novamente certas músicas, num contexto diferente, fez com que estas tomassem outra dimensão... Em especial a "Lover you should've come over", que fica aqui para registo.


domingo, setembro 23, 2007

Filmes que AMO (II)

Na semana passada fui ver o Ratatui, nova obra da Pixar/Disney e que está na esteira de outros filmes de animação (de qualidade) que esta dupla nos tem habituado. Fiquei bem agradado com o filme, uma estória com ritmo, animado, mais uma vez as dobragens portuguesas a demonstrarem o porquê de serem das melhores do mundo no género, e gráficos muito bem conseguidos. Várias vezes durante o filme lembrei-me de outro, que para mim continua a ser o nº1, a obra-prima da nova vaga de filmes de animação, e nada atrás da velha guarda. Foi de tal ordem a recordação que no dia seguinte, de uma assentada, comprei os dois filmes existentes até ao momento (um terceiro virá a caminho lá para 2010). Falo, claro está, de Toy Story ( Toy Story - Os rivais; Toy Story - À procura de Woody).

Toy Story é uma ode à amizade, uma ode aos brinquedos e o que eles significam durante a nossa infância, tendo ambos os filmes como denominador comum estes dois aspectos. Por um lado, as desavenças que se criam entre amigos, inevitáveis, as invejazinhas, as pequenas intrigas, mas no final cada um dando o braço a torcer. Por outro lado, a relação que estabelecemos ao longo da nossa vida com os brinquedos. Há os brinquedos que são inseparáveis, a quem dedicamos grande espaço do nosso tempo livre, um fiel companheiro, protagonista dos nossos próprios filmes, mas a certa altura, quando outros interesses se alevantam, desprendemo-nos e somos capazes de os remeter para um segundo plano tal, que pura e simplesmente, deixam de ter lugar na nossa vida. Outros há, que pela sua raridade, ou outro factor, tornam-se objecto de culto, transitando de gerações em gerações.

Todos tivemos as nossas afeições para com os nossos brinquedos dilectos, mas não deixa de ser perturbador pensar no que fizemos a esse brinquedo, na facilidade com que nos desprendemos dele. Certamente que isso é próprio da vida, em que chega uma altura em que partimos para outra, e por certo não há aquele momento em que temos que nos despedir dos brinquedos. Não. Pura e simplesmente, quando damos conta, eles já estão arrumados a um canto, preparados para serem desmantelados, ou entregues a outros que o precisem.
Quanto a isto, nada haverá a fazer. E daí que para os brinquedos, enquanto esta fase de encantamento durar, para eles será o melhor das suas vidas. Toda a alegria que proporcionarem já valerá apena, mesmo que depois passem à história.
Toy Story aborda isto de um modo terno, algo duro, e faz-nos prestar tributo a todos os brinquedos que passaram pelas nossas mãos, e que foram essenciais no desenvolvimento do nosso processo cognitivo.

Fantástica a maneira como os autores souberam captar essas verdades e transpôr para o grande ecrã. Atente-se por exemplo, nesta fantástica canção de Sarah Mclachlan, que traduz de um modo brutal, a desilusão de o brinquedo já não ser mais amado:




Mas Toy Story tem também os seus momentos de redenção. E são impagáveis.
Nunca me canso de voltar a Toy Story. Não me canso de ser por uns momentos um petiz fascinado com a eloquência das cenas, ou um adulto fascinado pela qualidade que brota nos filmes de animação. Toy Story é um filme para toda a família, e que daqui a 50 anos manterá a sua actualidade, não perdendo o interesse. Pode ser tosco nessa altura, mas a essência está lá, e é por isso que está no top 10 dos filmes da minha vida!

sábado, setembro 22, 2007

Insólito!

Ia eu a sair para o jogo de futebol de Sábado a tarde (com mais uma vitória, desta vez tangencial, por parte da minha equipa) quando, sou alertado por uma vizinha para uma ave, da qual ela não se lembrava do nome, mas dizia aparecer nos filmes em que o Texas entra ao "barulho". Ora, vasculhando rapidamente na minha mente, numa questão de micro-segundos lancei o nome "abutre" para a designação da tal ave, que ela confirmou. Voltei para trás para tentar vislumbrar a tal ave, quando me deparo com o espécime num telhado de uma casa, mesmo de fronte da minha. Voltei a casa, peguei na máquina e tive de registar o momento (momentos Kodak, para mais tarde recordar...), avisando todos os que por casa se encontravam. Pela análise das pessoas que estavam comigo, apesar de não sermos ornitólogos, lá concordamos que aquilo se tratava mesmo de um Abutre.
Portanto aqui vos deixo com umas fotografias da ave, para poderem concordar ou discordar da nossa análise:




Já agora, "os Abutres é o nome vulgar dado a aves falconiformes da família Accipitridae, de hábitos necrófagos, conhecidas também como abutres-do-velho-mundo. Os abutres assemelham-se exteriormente aos urubus e condores (os abutres-do-novo-mundo), mas estes pertencem à família Cathartidae. Os abutres são largos e compridos, têm uma cauda pequena e não têm penas na cabeça.
Eles só atacam as suas presas quando estas estão sozinhas ou já mortas. Os abutres têm mais tempo de vida em relação aos outros pássaros, conseguindo viver 30 anos em cativeiro." (Se o Menezes pode fazer plágio da Wikipédia no seu Blog, eu também posso....)

quinta-feira, setembro 20, 2007

Baú de Sigmund Freud

"A religião é uma maneira de explicar tudo
o surrealismo é uma maneira de não explicar nada
entre a prece e a charada
há-de haver uma outra estrada
que eu ainda hei-de
percorrer
(isto disse o doutor Freud )

Não nego que olhar pra dentro
não digo que olhar pró ego
não desmanche o fingimento
não faça ver quem é cego

Mas que trabalho, que canseira (não há maneira)
nos salões do inconsciente
há baús de tantas cores
tanto pó por sobre as dores
tanto dos nossos insides
que nos sai desnaturado

Eu sei, eu sei, Freud explica
o b-a-bá do baú
mas
se eu fosse a, ti Segismundo
não teria vindo ao mundo
pra nos fazer vir a nós
que quem quiser vir a si
vai ter que abrir o baú

Outro dia levantei-me tão bem disposto
até o espelho sorria ao olhar para o meu rosto
deitei-me logo outra vez
há que ser poupado e parco
pra não lhe perder o gosto
pra não afundar o barco

Tanta cobrança afectiva
vinda a boiar do passado
fica um sujeito á deriva
sem saber do que é culpado

Mas que trabalho, que canseira...etc

Eu sei, eu sei, Freud explica...etc

O cobarde é uma pessoa que foge pra trás
o herói é uma pessoa que foge prá frente
em maior ou menor grau
todos nós fugimos ao
medo que faz o cobarde
medo que faz o valente

O certo é que quando te olhas
te entregas à introspecção
nem que seja a saca-rolhas
(passa o vulgar da expressão)

Mas que trabalho, que canseira...etc
Eu sei, eu sei, Freud explica...etc"

Sérgio Godinho

quarta-feira, setembro 19, 2007

Porque me apetece…

Porque me apetece…

Porque me apetece escrever sem estrutura;
Porque me apetece falar de ti;
Porque me apetece acabar com a lógica matemática,
Mostrar que 1 + 1 (eu e tu) podem ser um em vez de dois;
Porque me apetece ver o “sol” nos teus olhos,
Vê-lo “nascer” num sorriso teu;
Porque me apetece pensar em ti;
Porque me fazes falta;
Porque estou a escrever para dizer que te adoro;
Porque quero o teu mundo perto do meu;
Porque nunca te esquecerei, nunca te abandonarei,
Nunca te vou deixar de apoiar;
Porque há pessoas únicas, porque há dias em que nos sentimos assim;
Porque quero partilhar contigo as derrotas;
Porque quero partilhar contigo as vitórias;
Porque quero ser o teu apoio;
Porque quero partilhar contigo as promessas e desejos que fazemos do berço até ao túmulo;
Porque não te quero ver partir;
Porque não te quero ver chorar;
Porque te quero alegre como és;
Porque bate a saudade e não me coíbo em palavras;
Porque não me apetece rever o que escrevi;
Porque tu já sabes, mas todos precisam de saber;
Porque tudo isto parece piroso e lamechas;
Mas porque isto é Amor.

domingo, setembro 16, 2007

Colin McRae 1968-2007

Foi com grande incredulidade que ontem à noite, enquanto passava em revista as notícias de Portugal e do Mundo, tomei conhecimento do trágico desaparecimento de Colin McRae.
Por força do meu avô, desde pequeno que tenho fascínio particular pelos Rallies, e aprendi a vibrar e admirar os grandes corredores, como muitos da minha geração o faziam relativamente ao Senna, ou ao Prost. Nunca fui de ficar colado por causa da F1. Mas o Rally era diferente.
E lembro-me muito bem de Colin McRae. Numa época de domínio avassalador dos finlandeses e Carlos Sainz, a determinada altura um jovem piloto escocês intromete-se na luta, piloto de uma condução avassaladora, arriscada, e emotiva quanto baste. Depois, pilotava um carro que se destacava por uma cor azul bem vincada, mas bonita, com um amarelo a pontuar. Toda a gente falava dos Subaru.
Colin McRae morreu cedo demais, e o desporto motorizado fica mais pobre. Fica no entanto, no dia de hoje, a bonita dedicatória do campeoníssimo Valentino Rossi a Colin McRae da sua vitória no grande prémio de motociclismo no Estoril, umas das mais emocionantes do ano. Obrigado Colin!