eXTReMe Tracker

quarta-feira, dezembro 31, 2008

2008 Final Countdown

2009: O ano que aí vem

Não gosto particularmente de anos ímpares. Mas que temos que passar por eles, lá isso temos. Este ano que se avizinha, tenderá a ser, segundo escreve-se, comenta-se e fala-se de há longa data para cá, um ano de crise, em que ninguém sairá ileso dela. O conflito israelo-palestiniano destes últimos dias é disso exemplo. Ainda reina a turbulência por muito desse mundo fora. Em todo o caso, fica o desejo de que Portugal saia o mais ileso possível desta crise, e que, como se costuma dizer neste dia, que 2009 seja o melhor ano de sempre, e o pior de sempre face aos que lhe seguirão.
Dito isto, deixo apenas algumas sugestões de acontecimentos apetitosos para 2009:
(1) U2 - O regresso do quarteto irlandês. No Line On The Horizon está a ser promovido como o melhor disco de sempre da banda. Bono foi bem claro quando adiou o seu lançamento para 2009 "Queremos que 2009 seja o nosso ano".
Para além da curiosidade imensa em ouvir o novo material, 4 anos e alguns meses depois de How To Dismantle An Atomic Bomb, de que se diz assemelhar-se muito a Achtung Baby, logo o disco preferido dos escritores cá do burgo, fica, não menos importante, o desejo de uma nova Tour a passar cá pela Europa e, obviamente, Portugal.
Queremos, contudo, poder assistir a mais do que um concerto da banda ao vivo, pelo que fica desde já, o primeiro objectivo para 2009: ver 3 concertos dos U2.
(2) Sporting/Liga - No dobrar de ano, os 3 grandes estão perigosamente pertos uns dos outros. Cada um depende de si próprio para alcançar o título.
Será um campeonato a disputar-se taco-a-taco, como há já alguns anos não se via.
O Benfica foi a equipa que mais se reforçou este ano, a que tem mais adeptos, melhor imprensa, mas no campo é capaz do melhor e do pior. Notam-se algumas fragilidades. Ainda não tem o chamado estofo de campeão. É o 2º favorito à conquista.
O FC Porto surge no 1º lugar da pole position. Depois de um período muito mau, com derrotas consecutivas, a equipa ganhou novo embalo, acabou catagoricamente a prestação na Champions a liderar o Grupo, e parte para a 2ª volta a receber os outros 2 grandes em casa. Depois, tem os hábitos de conquistas, leia-se, os últimos dois títulos, daí que o capital de confiança e maturidade lhe venham a ser úteis mais para a frente. Será preciso um Super-Benfica ou um Super-Sporting para deixar o Porto para trás.
O Sporting é o menos favorito dos 3 grandes. Não só porque gastou muitíssimo menos, como também é o único onde sistematicamente saltam cá para fora os problemas de balneário com jogadores importantes do 11. Assim, fica (muito) complicado. Paulo Bento já teve maior estado de graça do que tem hoje. No ano passado, o recomeço de época foi péssimo (raro era o fds, entre Jan-Fev, em que ganhávamos um jogo). Se este ano é pra ser diferente, então Janeiro tem que abrir, continuar e acabar a ganhar. Por outro lado, a Champions e o jogo com o Bayern serão um duro teste às capacidades de Paulo Bento e da equipa. Mas só perante provas destas é que veremos o estofo da equipa. Em conclusão, direi que se o Sporting souber aproveitar o seu trabalho de formiguinha, como nos anos anteriores, em que acabou em 2º, este ano, em que só depende de si para o título, poderá conquistar esse objectivo. Mas vai ser muito exigente.
(3) Eleições - Será um ano de 3 eleições: Europeias, Legislativas e Autárquicas.
Conseguirá o PS a maioria absoluta? Irá a esquerda crescer como as sondagens o indicam? E a Direita, que será dela 4 anos depois? Questões interessantes e a valerem a pena acompanhar. Mas tudo só para o último trimestre do ano.
Mais assuntos interessantes valerão apena o comentário, aplauso ou insulto críticos, e cá estaremos para o escrever no novo Ano 2009 que aí vem.
Da minha parte é tudo. Que entrem com o pé direito, são os meus votos para os leitores deste burgo. Um abraço!

terça-feira, dezembro 30, 2008

Caros leitores,
2008 está a chegar ao fim. A cortina vai-se fechar como em qualquer peça de teatro, esperando eu que todos nós, actores deste grande teatro que é a vida, recebamos os aplausos devidos neste acto que finda.
Foi um ano positivo, com experiências novas, com mudanças, com desilusões, com riso, com choro, com alegrias e tristezas, com tudo a que se tem direito.
Podia alargar-me e dizer que aconteceu isto de bom e aquilo de menos bom, que destaco isto ou aquilo no decorrer deste ano. Não vou fazer isso, as pessoas que nos acompanham sabem o que se vai passando, sabem o que de positivo se passou e o que de menos positivo teve lugar.
Portanto resta dizer, que 2008 se despeça em grande como em grande foi o que nos proporcionou e que 2009 venha substituí-lo com vigor.
Assim me despeço com amizade

segunda-feira, dezembro 29, 2008

2008: Filmes do Ano (2)

Apesar de ainda não ter visto um ou dois filmes que o Melo referiu no post abaixo, concordo com muitas das notas dadas. Apenas queria fazer referência a um filme de 2008 que talvez por esquecimento não foi incluido.

Juno - Uma comédia teenager. Mas uma comédia diferente de todas as outras, muito bem conseguida e sem entrar em lugares comuns. Um filme divertido, como há muito tempo não via.

nota -17

Em relação ao "Cavaleiro das trevas" eu não tenho a minima dúvida que teve a melhor interpretação do ano. Heather Ledge fez um papelaço, daqueles que fiquei colado à cadeira e a pensar que um dos óscares tem de ser atribuido a título postumo.

domingo, dezembro 28, 2008

2008: Os filmes do ano

Foi um bom ano de cinema, este o de 2008. Muitos bons filmes que valeram bem a pena os 5€ (ou um pouco menos, consoante o cartão jovem..) empregues.
Houve anos em que via 15 a 20 filmes por ano no cinema, mas isso foi nos tempos áureos. Em todo o caso, este ano até que acabei por voltar mais vezes às salas de cinema, e cabe dizer que foi um regresso feliz, na medida em que as películas foram de muito boa qualidade. Segue-se o meu top:
(1) Este País Não É Para Velhos (18,5v)- Para mim, o melhor filme do ano. Javier Bardem é o melhor psicopata que vi de há largos anos para cá e faz um papelão. A estória é muito boa, aventureira, divertida, dramática. Mereceu os Óscares conquistados.
(2) Tropa de Elite (18v) - Brutal. É um filmaço que na senda de A Cidade de Deus, alerta para o drama que se vive nas favelas e no duro trabalho que a polícia tem para impor algum respeito.
(3) Wall-E (17,5v) - Depois de Toy Story, À Procura de Nemo, Os Incríveis, ou Ratatui, a Pixar a mostrar o porquê de ser ela a mandar no que toca a filmes de animação. Grande argumento, a merecer disputar o Óscar com os filmes de carne e osso. Fiquei fã!
(4) Batman - O Cavaleiro das Trevas (17v) - Não sei se é o melhor Joker de sempre, mas não tenho dúvidas que o papel de Heath Ledger é imortal. O melhor Batman de sempre, a bater aos pontos outros filmes de super-heróis (e atenção que gosto muito do Homem-Aranha I).
(5) A Turma (17v) - Um filme feito por não-actores que narra o ambiente escolar. Sem pretensiosismos, radicalismos, ou moralismos, a Turma foi uma belíssima surpresa.
(6) Tempestade Tropical (16v) - Ben Stiller no seu melhor. Foi o filme que mais me fez rir este ano, e que teve uma estória muito divertida, que permitiu até recuperar o brilhantismo da carreira de Tom Cruise e relembrar ao mundo que o homem é um Senhor Actor!
(7) Filho de Ranbow (16v) - Outra agradável surpresa. Um filme a relembrar os tempos áureos da infância, em que influenciados por Rambos, Schwarzennegers, A-Teams, fazíamos brincadeiras inspirados por essas personagens. Neste caso a ideia era recriar um filme inspirado no Rambo. Com muita piada, divertido, ternurento, Filho de Ranbow foi a grande revelação deste final de ano.
(8) Indiana Jones - A Craveira de Cristal (15v) - A expectativa era elevada. O regresso de Indy tantos e tantos anos depois. Sem deslumbrar críticas, ou fãs da velha guarda, fui com expectativas em baixo, mas não saí defraudado. Pelo contrário. Achei bem conseguido o filme, não desmereceu o passado e a memória de Indy, e valeu apena o regresso. Conta-se que há um 5 na forja...tomara!
(9) Haverá Sangue (14v) - A melhor actuação artística do ano pertence a Daniel Day-Lewis. Soberbo. A estória é interessante, mas no panorama global, não é a melhor estória do ano.
(10) The Darjeeling Limited (13v) - O primeiro filme a ter visto no ano, pertence a Wes Anderson, autor de Um Peixe no Aquário. Trata a saga de 3 irmãos pela Índia. Engraçado, espirituoso, e com um final arrebatador com os Champs Elysées de Joe Dassin como pano sonoro de fundo.

sábado, dezembro 27, 2008

Muito bom

O título é enganador. Son of Ranbow - Filho de Ranbow - poderia indiciar mais uma daquelas comédias parvas, sem piada nenhuma, que se dedicam a parodiar filmes êxito da temporada, ou então do antigamente mas que permanecem actuais. Nada mais errado.
E aqui pego emprestadas as palavras de Nuno Markl, para dizer-vos que Son of Ranbow narra as desventuras de dois jovens ostracizados que decidem criar, em video caseiro, a sequela para A Fúria do Herói, o primeiro filme da saga Rambo. Chamam-lhe Son of Rambow (com "w" no fim porque, inteligentemente e de uma assentada, isso permite-lhes fazer uma piada relevante para a história e, ao mesmo tempo, evitar problemas de direitos) e à medida que a produção vai avançando, vai cativando boa parte dos colegas de escola dos dois rapazes, incluindo um extravagante estudante francês de visita a Inglaterra num programa de intercâmbio.
Li a sinopse do filme no DN e fiquei curioso. Depois as críticas davam classificação de bom. Então, sem nada a perder decidi-me a ir ver o filme e só posso dizer que este superou as expectativas. A estória é deliciosa, prende-nos do princípio ao fim, faz rir, e sobretudo dá uma nostalgia tremenda ao fazer-nos regressar aos tempos de infância em que deleitados por filmes, precisamente como o Rambo, gostávamos de recriar as cenas, falas míticas, e em alguns casos até em imortalizar isso tudo em vídeo.
Para quem goza nos próximos dias um periodozinho de férias, e sem nada para fazer nestes dias de chuva, frio e gelo, um bom programa o de ir ao cinema e ver Son of Ranbow. Porque traz selo de qualidade. Garantidamente.

quarta-feira, dezembro 24, 2008

Feliz Natal (Prendinha)

Não preciso tecer comentários. Boas Festas. Agora vou-me, o bacalhau já me espera.

FELIZ e SANTO NATAL!!!!!

Prendinha de Natal (antevisão)

Estão a ser feitos esforços para conseguir colocar hoje a prenda de Natal aqui no Blog. Não está a ser tarefa fácil, porque a tecnologia está contra nós. Mas esperamos da parte da tarde ter aqui a tão aguardada prenda.

FELIZ NATAL para todos

sábado, dezembro 20, 2008

A verdadeira prenda de 2009

E pronto, já é oficial.
2 de Março de 2009 é lançado cá para fora "No line on the horizon", o 12º álbum de originais dos U2, o disco que Bono pretende que faça "2009 o ano dos U2", o disco que marca o regresso à produção da dupla-maravilha Brian Eno/Daniel Lanois, responsável pelos melhores discos de sempre da banda, e o disco que os U2 querem que continue a marcar o paradigma da cena musical, tal como Joshua Tree e Achtung Baby o fizeram.
2 de Março, Primavera, deixa também antever que a Tour começará, muito provavelmente, pela Europa, a aproveitar o Verão e os Estádios para começarem os primeiros filões de €€€.
Pensar que poderei estar a menos de 1 ano de rever a minha banda de novo ao vivo é bom. Muito bom. Muito muito bom!

Errada

A decisão de José Paulo Carvalho (JPC) em manter o seu mandato de deputado após desfiliar-se do CDS. Mandato esse que não é originariamente seu, mas sim de António Pires de Lima. JPC apenas veio substituí-lo e a partir do momento em que deixou de se rever no partido, era do mais óbvio e do mais elementar que pusesse o mandato à disposição. Não o tendo feito, fica a ideia de se querer agarrar a um tacho, sendo motivo de piadas como esta.
Em entrevista ontem ao Diário de Notícias, JPC disse ter consciência de a sua decisão não estar isenta de críticas e ser até mesmo duvidosa. Acrescentou que ficou porque ainda se sente útil no Parlamento, nomeadamente na comissão da educação, e que se em Fevereiro vir que de facto o seu campo de manobra foi limitado ao ponto de não conseguir fazer qualquer intervenção de jeito, que então admite em renunciar ao mandato. Ora, esta emenda que JPC faz para sair bem da figura, não me parece que tenha ajudado grande coisa.
Fico com pena por esta sua opção porque sempre considerei JPC um bom valor político, como é disso caso Esposende onde é vereador (estando a cumprir a palavra de não renunciar ao mandato mesmo com a ida para a Assembleia da República) com trabalho reconhecido, mas ao tomar esta atitude acaba por criar alguma desilusão.
Com isto tudo, fica por saber como será do CDS Esposende. Se manterá a aposta em JPC, ou não. Mas que o partido sai a perder, lá isso sai...

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Dias Atlânticos

Retirada do fundo do baú...

Este homem já fez tudo na vida. Até já deu cabo de um Clube de Futebol...

Ban, uma banda nada banal... Nunca pensei que a palavra: "retrospectivei" pudesse entrar numa música. Aliás, fiz uma pesquisa e não encontrei em nenhum lado essa palavra. hummmm. será que João Loureiro inventa palavras???

terça-feira, dezembro 09, 2008

Kaputt

Pois é caros leitores. Uma das expressões mais utilizadas na minha infância e adolescência tomou hoje uma nova dimensão; uma maior dimensão. Muitas das vezes proferimos a palavra "Kaputt" para nos referirmos a qualquer coisa que corre mal, que pura e simplesmente se desfez, que no sentido mais lato, capotou...

Pois hoje, na brincadeira disse que uma aplicação tinha feito "kaputt". Um colega mais atento, alertou-me para a existência da palavra kaput. Pois é, kaput é um verbo em alemão, que quer dizer nada mais nada menos que:

"Informal ruined or broken; unable to function"

Ou seja, arruinado ou partido, não funcional. Pois é, eu era um jovem inconsciente e já sabia falar alemão.

E esta hein???

sábado, dezembro 06, 2008

Sugestão

Para os leitores que tiverem com dificuldade em dormir agora nestes tempos de Inverno rigoroso, com muita chuva e...trovoada!...

Faz falta...e muita!

Balakov, Niculae, Iordanov, Beto Acosta, grandes jogadores que passaram pelo Sporting e ficaram para sempre na história do clube e perpetuados no coração dos adeptos pela qualidade elevada do seu futebol e, sobretudo, pela garra e postura em campo que não deixavam ninguém indiferente!
Recentemente apareceu um jogador montenegrino, que deixava antever muita qualidade técnica, e que bastou 2, 3 jogos em campo para ver que tínhamos ali (grande) craque!
Simon Vukcevic é dos jogadores mais apreciados e acarinhados pela massa associativa leonina, e depois de toda a novela que o envolveu, e prejudicou bastante (e ao clube idem), o regresso de ontem à noite à Amadora, e da forma como aconteceu, só pode pôr um ponto final na novela e indiciar o começo de um novo ciclo, que se espera pelo menos à semelhança do da época passada, em que Vuk foi um jogador preponderante no 11.
Chega mais do que em tempo, em que o 1º lugar está bem à vista, e a presença na Champions a retomar em Fevereiro. Temos aí reforço!

domingo, novembro 30, 2008

Filmes que com a distância do tempo se tornam obras-primas


Num destes dias estava a passear a vista na secção de dvds da FNAC, quando me deparo com uma edição especial do Resgate do Soldado Ryan. Especial porque lançada na ocasião da comemoração dos 60 anos da 2ª Guerra Mundial, e especial também porque trazia um conjunto de extras bem interessantes. Como o preço era de amigo, comprei então o dvd.

O Resgate do Soldado Ryan é um filme de 1998, com um dos meus actores predilectos de sempre (Tom Hanks; o outro é o Jack Nicholson), e realizado por um director especialista de excelência em filmes do período da 2ª Guerra Mundial (Steven Spielberg). Melhor ponto de partida, portanto, não poderia haver e foi então com elevada expectativa que fui ao cinema ver a película.

A entrada foi a matar. O desembarque na Praia de Omaha procurou ser tão realista quanto possível, e foram 15 minutos de uma brutalidade impressionante. Poucos foram aqueles que conseguiram tirar os olhos a este testemunho fictício mas natural de um dos mais importantes e decisivos momentos da história da humanidade nos últimos 100 anos. As coisas passaram-se assim, ou aproximadamente, e era importante mostrá-las a toda uma geração que não faz a mais pequena ideia de como foram realmente esses tempos.

Findo o desembarque, seguiu-se a estória propriamente dita. Tratava-se basicamente de um pequeno corpo expedicionário ir procurar um soldado, que também fora destacado para França, mas cujos irmãos tinham falecido tragicamente noutras frentes de guerra e, como tal, era imperioso resgatá-lo e devolvê-lo à família, para que esta não tivesse um trauma ainda maior, e um drama irreparável de todo que era o de perder todos os seus filhos na Guerra.

Confesso que na altura achei a estória um pouco forçada, e nada consentânea com as expectativas que eu próprio tinha gerado quanto ao sumo da narrativa. Por outro lado, a ideia de Spielberg em abordar o drama pessoal de um soldado que se debatia internamente entre o dever de fazer a guerra e a sua consciência, foi algo que não encaixei muito bem, sobretudo na cena em que esse soldado, podendo ajudar um colega que lutava contra um alemão, não o fez, acabando esse seu colega por morrer. Não consegui conceber tamanha situação, e foi para mim o ponto decisivo para não ter morrido de amores pelo filme. Curiosamente, esse soldado e a sua “estória pessoal” foram o facto mais referido por Spielberg nas entrevistas, referindo que se revia e muito nesse soldado.

Como disse, não fiquei particularmente fã do filme, apesar de este ter ganho 5 Óscares.

Julgo que ainda voltei a ver uma 2ª vez no cinema, e porventura uma 3ª vez. Tanto quanto me lembre, não mais do que isso. E assim, sem exagero, passaram uns 6, 7 anos sem ter posto a vista em cima no Resgate do Soldado Ryan.

Até que surgiu esta situação do dvd. E porque me decidi a comprá-lo? Bom, para além do preço de amigo, foi o apetite despertado pelos seus vários extras, com particular destaque para o desembarque do Dia D. Por outro lado, o facto de já não ver o filme há muitos anos e quem sabe se ao vê-lo agora, passado tanto tempo, não sucederia que o contemplasse de outra forma, de outra perspectiva acabando por gostar. De facto, quantos filmes, quantos discos que à primeira visualização, escuta não gostamos, e depois, com a serenidade e a sageza que o tempo se encarrega de nos dar, ficamos colados a eles?...

Pois bem, vi então o Resgate do Soldado Ryan passados estes anos todos, e não será difícil adivinhar que fiquei extraordinariamente impressionado com ele.

O desembarque da Praia de Omaha continua assombroso ao fim destes anos todos.

Quanto à narrativa, atentei-me particularmente nas personalidades dos soldados que compunham o corpo expedicionário, e de facto, pareceu-me francamente verosímil a ideia de que naquela altura fosse necessário resgatar um soldado, cujos irmãos tivessem morrido na frente de combate. E refiro personalidades, porque existem ali grandes interpretações. Os diálogos, os silêncios, materializam-se ali interpretações próprias de grandes actores e que são dirigidos por uma grande equipa.

Quanto ao soldado Unpham, o tal que vivia o seu drama pessoal, percebi o personagem, entendi as suas razões, e conclui por uma fantástica interpretação, mas ainda assim continuo a achar forçada a sua moleza para ir salvar o colega que acabou depois por morrer. Agora que escrevo esta linha, tenho a certeza que vi o filme uma 2ª vez em Esposende. Isto porque há uma cena em que Unpham dispara finalmente, e logo a matar, o que gerou na plateia uma estrondosa ovação (aqui já se começava a denotar que muita gente vai pró cinema como se fosse para um jogo de futebol…).

Tudo visto, tenho a concluir que o Resgate do Soldado Ryan é um filme obrigatório, e uma referência quando se trata de filmes de Guerra. Muito bem filmado, grandes interpretações, um momentum que o vai perseguir para a vida toda (o desembarque) e que só os grandes filmes conseguem ter esses momentos, em que passados 50 anos ainda são referidos (como acontece com o filme Casablanca e o “Play it again Sam”). É uma obra-prima, não haja dúvidas.

Fico feliz por passados estes anos todos ter compreendido o filme e passado a gostar dele convictamente. Não sei agora quando é que voltarei a pegar nele (talvez novo compasso de espera de 5, 8 anos), mas não duvido de que quando o arrumar na prateleira, ainda sobrarão segredos e magias por desvendar e, assim, aberta a possibilidade de poder ainda ficar mais fascinado por ele...

O momento da comédia

Não percebo porquê tanto celeuma com o momento da verdade, na Sic. Afinal de contas, a SIC é que inaugurou o estilo tele-lixo, e programa em que entre a Teresa Guilherme, é certinho e direitinho que vai ser uma grande trampa.

Dito isto, nestas últimas 2 semanas assisti com curiosidade ao programa e, avanço desde já, que este programa é tão sério como os combates de wrestling. Ou seja, nada.

O primeiro concorrente era um ex-Rei da noite. Tinha um bar muito bem sucedido, aventurou-se em mais 3 ou 4, só que, azar, meteu-se com os sócios errados, e perdeu dinheiro. Muito dinheiro. Vai daí, ficou na fossa. Actualmente é colaborador dum amigo seu, trabalhando no bar de alterne deste como….motorista das alternadeiras. Realmente, só pode ser um cargo muito bem pago. A um amigo nosso, casado, na fossa, e que nos pede ajuda, entre arranjar tarefa a servir copos ou ser chauffer das alternadeiras, toca a impingir-lhe a segunda. Extraordinário!

Bom, as perguntas do momento da verdade, em 90% são relacionadas com o tema do sexo. Este caso, como o seguinte (já lá vou) não fugiu à regra.

Perguntava-se ao ex-Rei da noite se já tinha pago para ter sexo. Disse que não, que nunca precisou disso. Verdade.
Perguntava-se depois se já tinha tido facilidade em ter sexo. Disse que sim, que na noite as pessoas são mais desinibidas, e tal proporcionava-se com facilidade. Verdade.
Depois perguntou-se se já lhe tinham pago algum favor com sexo. Disse que não. Nesta altura eu pensei que outra que seria verdade. Afinal, se o homem nunca pagou para ter sexo, e tinha-o com facilidade, não teria problema em dizer sim, se fosse o caso. Mais complicada foi, por exemplo, responder que conheceu a mulher num bar de alterne, e aí disse sem problemas que sim. Portanto, pareceu-me francamente que não era por esta pergunta que ele se iria enterrar. Mas acabou por se enterrar. Uma comédia. Para mim, a honestidade intelectual do programa despia-se claramente à minha frente. Rasa.

De seguida, surgiu uma concorrente, mãe de família, bem casa, a jurar que era pela verdade e contra a mentira. Só teve um homem na vida, com quem casou virgem, seu marido de há 30 anos. Obviamente, que perguntas sobre traição, cobiçar outros homens, etc, não surtiram nenhum efeito. Vai daí a táctica foi espancar o marido: sente que tem um casamento feliz; o seu marido é um bom amante; já teve um orgasmo nos últimos 6 meses; acha que o seu marido a merece; e a tudo isso a parola ia dizendo que não tinha casamento feliz, o marido era fraco amante, já chorou depois do sexo, etc, etc. Impressionante!

Polémicas? Nem uma. O marido ria, aplaudia, a mulher mandava-lhe beijinhos. Estava bem claro que aquilo era um jogo, e podia o polígrafo denunciá-la numa traição, etc, que aquilo valeria o mesmo que nada.

E assim ela foi avançando quase até à vitória final. Isto porque à pergunta o seu marido é o homem da sua vida ela disse que não, mas afinal era mentira. Uau! Que comoção! Mais comoventes as palavras finais de Teresa Guilherme em jeito de consolação “o casamento continua!”. Obrigado Teresa! Por acaso era bonito que terminasse logo ali. Isso é que era acabar em grande!

E bom, assim acabou o momento da verdade. Pelo menos por agora. Um momento da comédia é o que é senhoras e senhores, que figurará na galeria das grandes trampas da Tv Portuguesa, versão trash.

Indecisão 2009


Como temia João Cepa aceitou o repto de se recandidatar às eleições autárquicas de 2009, propondo-se a um novo mandato de 4 anos, a adicionar aos 10 que já leva de Presidente.
É o candidato mais forte que o PSD poderia apresentar e, como diz o povo na sua sabedoria, em equipa que ganha não se mexe.
A pouco menos de um ano para a ida às urnas, a João Cepa bastará gerir o trabalho feito até agora e depois, na altura certa, colher os frutos.

sábado, novembro 29, 2008

(...)

Os jogadores do Estrela receberam hoje 2 meses de salários em atraso. E não, não foi o clube que pagou, mas sim o fundo de apoio do sindicato dos jogadores. Que depois disto já ficou a zeros.
Nem de propósito, cabe recordar aqui um belo sketch dos Gato Fedorento. O programa do domingo passado não valeu nada. Pelo que me contam o "Zé Carlos" não tem sido um valor acrescentado à carreira dos humoristas. Mas o que é verdade é que quando eles fazem um grande sketch, é grande sketch mesmo e não há nada a dizer. Senão vejam:

sexta-feira, novembro 28, 2008

14 em 4

Competições Europeias, Porto, sporting, Benfica e Braga. Confiança, existia muita confiança. O Porto podia garantir apuramento, o que aconteceu. Sporting sem nada a perder podia mostrar a fibra de que é feito e levar de vencida a super equipa do Barça. Benfica a precisar de pontuar para manter a corrida. Braga com vontade de carimbar o apuramento apôs brilharete da 1ª jornada.
O que se seguiu? Pesadelo...
14 golos encaixados em 4 jogos. Média redonda de 3 golos por jogo. Muito mau para quem anda na alta roda do futebol.
O futebol português tem de ser repensado e depressa. Estou a ficar com medo do que poderá acontecer no Dragão com o Arsenal...

quarta-feira, novembro 19, 2008

Ler depressa e bem.

Three witches watch three Swatch watches.Which witch watch which Swatch watch?

Brinquedo? Naaaaaa.....

Pois caros leitores, esta semana estava a acompanhar o programa dos Gatos Fedorentos, o novo "Zé Carlos", e sinceramente, acho que os programas estão cada vez mais fraquinhos, o humor não tem tido tanto efeito como era desejado, ou então a imagem deles está a ficar muito mas muito gasta.
Contudo houve um momento de grande piada. O momento "Tumba", mas aqui eles não têm de fazer grandes coisas. Esta semana o visado foi o Toy. "A Casa do Toy", um programa que passou na SIC há uns anos atrás.

Nota: Menores de 16 anos não podem ver este video, assim como pessoas mais sensíveis.
Fiquem com esse momento:




"Chupaaaaaaaa....". Que mais há a dizer? um romântico. :)

O que os Gatos se esqueceram é que Toy é muito mais famoso que eles.
O Toy inventou aos "Toyletes", sim meus amigos aquelas que ficam com um cheiro fedorento quando lá se vão fazer as necessidades.
O Toy têm o seu próprio filme, o Toy Storie.
O Toy têm uma cadeia de lojas internacional, o Toys 'r' Us.

E vocês gozam com a cara de um homem com este gabarito? Isto não se faz, até porque aquele pequeno carreiro de pelo no queixo é digno de ser observado com respeito.

Sem mais me despeço.
Até outro dia.

domingo, novembro 16, 2008

A ver

A Turma, vencedor da Palma de Ouro em Cannes.

Infelizmente somos de uma geração cuja cultura cinematográfica é 90% made in USA, e não há muito o hábito de ver outras películas que não aquelas vindas de Hollywood. Daí ser uma aventura sempre que vamos ao cinema ver um filme não falado em inglês, sobretudo se for europeu, onde associamos câmaras super-paradas a filmar durante 10 minutos um tipo a barbear-se e sem mudar muito de plano. Mas há que reconhecer que há muito boas coisas vindas do cinema europeu. A Vida é Bela, o Tigre e a Neve, o Quarto do Filho, La vie en rose, são disso bom exemplo.

Bom, mas voltando à Turma, o facto de ser um filme passado, praticamente, dentro duma sala de aulas, em que um professor se confronta com uma turma formada por alunos de diversas etnias, uns com vontade de aprender, outros nem por isso, e outros ainda problemáticos, e procura puxar o melhor de cada um deles, reunia os ingredientes suficientes para chamar a atenção e despertar a curiosidade dir vê-lo. E assim foi.

Aproveitei que a única sala perto de casa com o filme em exibição era o Mar Shopping e fui até lá, para ver o filme, e já agora conhecer o mais recém-shopping nortenho. Um breve parêntesis para dizer que o Shopping me parece bastante parecido com o Vasco da Gama, portanto agradável. Mas sobre as salas de cinema há que dizer que foi desolador. Muito mau mesmo. Pelo menos, aquela onde tava a ser exibido o filme, em que só havia disponível lugar na ponta. Mas pra ver o filme, tinha de estar com o pescoço todo virado. Nem me deixei lá ficar 1 minuto. Fui para o meio, onde havia algumas cadeiras vazias.

Sobre o filme, muito bom. Nem nos apercebemos que professor e alunos não são actores, mas sim um professor na vida real (nada mais que o autor do livro que serve de inspiraçã e base ao filme) e alunos (que tiveram aulas de representação), que emprestam a sua experiência na vida real ao documentário-ficção. O que o torna mais autêntico e sincero. É um filme que prende a atenção, diverte, faz pensar, comove, em suma, vale bem a pena o dinheiro investido. A ver!

segunda-feira, novembro 10, 2008

A "História" que fica por fazer

Os ecrãs anunciavam vezes sem conta: nunca nenhuma equipa venceu 3 vezes seguidas a taça de Portugal. E o Sporting poderia fazer história.
Depois de um primeiro embate mal sucedido, as presenças de Liedson, Izmailov e Caneira no 11 anunciavam que as coisas iriam ser diferentes. E de facto quem viu aquela 1ª parte (das melhores da época) só poderia estar confiante numa vingança da derrota de há semanas atrás.
No entanto, nestas coisas da bola, quem não marca arrisca-se a sofrer. E o Sporting teve muitas oportunidades de terminar a 1ª parte com 2-0, senão mesmo 3-0. Não o tendo feito, fez uma segunda parte muito fraquinha, de que o golo de Hulk é exemplar de como a equipa se foi abaixo, e então deixámo-nos empatar.
Prolongamento, que era o pior que poderia acontecer (noite fria, horário já a pedir o sono), mas nem mesmo aí as equipas resolveram. Seguiram-se os penaltis, onde não primamos pela excelência na marcação, nem pela sorte destes momentos (sobretudo quando se trata de jogar contra o Porto). Mais uns minutos de tensão, sofrimento, para acabar em grande desilusão. Estamos fora da taça. Não vamos fazer história.
Em conclusão, direi que foi uma bela oportunidade perdida, porque tivemos todas as condições para derrotar o Porto. A arbitragem foi muito má, mas não foi por aí que fomos eliminados.
De qualquer modo, e conforme disse a alguns amigos portistas, vemo-nos na Supertaça. Não conto com outra coisa...

sexta-feira, novembro 07, 2008

Coisas que um adepto de futebol gosta de ouvir


Certamente que poderá haver alguma dose de exagero, ou um piscar de olhos aos adeptos para consumo interno, mas no caso particular de Postiga, acho que há muito de verdade nesta frase.
O rapaz é um jogador com muito potencial, mas a sua carreira não primou até agora propriamente pela regularidade ou por altos momentos. Daí este ingresso no Sporting ter visado o relançamento da sua carreira.
E a verdade é que Postiga já conquistou os adeptos, que muito o apreciam (vide os enormes assobios a PBento na substituição que procedeu contra o Porto, ou nos muitos aplausos com que foi brindado agora contra o Shaktar), seja pelos importantes golos que já marcou, seja pela raça e entrega em campo que gostamos muito de ver. Atrevo-me a dizer que Postiga neste momento tem mais capital de simpatia entre a população leonina do que, por exemplo, Miguel Veloso.
Da minha parte, é um jogador que aprecio bastante em campo, e é daqueles que quero sempre a titular.

Cavaco

Cavaco Silva decidiu fazer da cooperação estratégica o modelo da sua Presidência, o que lhe valeu grande crédito e reconhecimento por parte daqueles para quem Portugal está primeiro, inclusivé muito boa gente do Partido Socialista.
Mas Cavaco tem também a singularidade de fazer uma espécie de promulgação com reservas. Discorda do teor de certas leis, mas acaba por promulgá-las. Como se as reservas que coloca não fossem actuais e suficientes para não deixar certas leis irem para a frente nos moldes com que foram redigidas. Primeiro foi com a lei do aborto, agora é com a lei do divórcio.
Recentemente, tivemos os casos das ameaças veladas do General Loureiro dos Santos, e agora a palhaçada pela Assembleia Legislativa Regional da Madeira. Sobre isto, e perante tais gravidades, ainda não ouvimos uma única palavra do Presidente. Que, aliás, quando foi fazer a visita oficial à Madeira nada comentou à proibição do Governo Regional em não ir lá discursar.
Devo dizer, com tudo isto, que a Presidência de Cavaco me tem desiludido. Se é certo que lhe aplaudo pela cooperação estratégica, acho indesculpável que se atravesse com certas leis do Partido Socialista que são graves para a sociedade, e que ele próprio reconhece e critica mas não tem coragem para não deixar passar. E depois estes casos que abalam o regular funcionamento das instituições e sobre os quais nada diz, prolongando um silêncio que em nada se justifica.
Espero que o Presidente arrepie caminho..

quinta-feira, novembro 06, 2008

Champions

Esta semana está a figurar-se como daquelas em que tudo corre bem.
E não me refiro apenas à eleição de Obama. Futebolisticamente falando, o Porto deu ontem um sinal claro de que ainda está para estas contas da Champions, e vai bater-se até ao fim pelo apuramento (e por que não o 1º lugar, visto estar a apenas 2 pontos do Arsenal que ainda vai ter de jogar no Dragão). Um novo fôlego para Jesualdo e os jogadores que, no entanto, não livram a má imagem que têm deixado nas últimas semanas , não alterando em nada a conclusão de que este é o pior FC Porto dos últimos anos.
Brilhante também esteve o Sporting, por ter logrado pela primeira vez apurar-se para os oitavos-de-final da Champions. Tal como o Porto, o Sporting também só depende de si para acabar a fase de grupos em 1º lugar, e o próximo jogo em casa com o Barcelona, apesar de difícil, também será altamente motivador para os jogadores. Afinal, se já se fez história por que não fazer um bocadinho mais?
Paulo Bento também ganha um fôlego adicional e reduz para já as críticas que lhe foram sendo lançadas. Digam o que disserem, o homem já marcou o seu lugar na história do Sporting.
Uma última palavra para Derlei. O Ninja com os seus 33 anos já devia ter um pouco mais de juízo na cabeça, mas não deixa de ser um regalo vê-lo jogar em campo, e correr e lutar como se tivesse vindo dos júniores e quisesse mostrar ao treinador que tem lugar no plantel. O Ninja é um parceiro de ataque fantástico do Liedson, e para este tipo de jogos é um valor acrescentado na equipa. Valeu a pena ter renovado!

Pais de Retalhos???

Hoje na minha vinda para o trabalho e com a TSF sintonizada na rádio, ouvi uma notícia que me deixou a pensar se vivo num pais onde todos temos os mesmos direitos e os mesmos deveres. Ao que parece isso é verdade, perante a Segurança Social, perante as Finanças, no fundo perante a Administração Pública ou serviços governamentais. O mesmo não se passa quando passamos para os serviços detidos por privados.
A notícia referia-se à Galp, que decidiu durante mês e meio baixar o preço dos combustiveis durante o fim de semana em 6 cêntimos por litro. Ora, quando ouvi isto pensei: "Aqui está finalmente algum bom senso por parte da Galp"; não é que a notícia continua, dando conta que isto só se passaria em 100 postos de abastecimento, localizados na grande Lisboa, grande Porto, Viseu, Aveiro e Algarve (se não me engano)... Será que a Galp olha para Portugal como uma manta de retalhos, em que existem distinções entre os seus habitantes? Será que uns têm mais direitos que outros e os mesmos deveres?
Haja bom senso por parte da Galp, somos todos iguais!!!

quarta-feira, novembro 05, 2008

Nota Americana...

O meu anti-americanismo prende-se apenas com o facto de estes se mostrarem superiores na maior parte das questões políticas, sociais, económicas, culturais e tecnológicas. Não sou um anti-americano puro, nem sou um pró-americano. Apenas olho a américa de uma forma não fanática. Normalmente ou se gosta muito, ou se desgosta. Não sou desse tipo. Acho que a América têm muita coisa boa, como tem muita coisa má. Mal seria se assim não fosse, não podemos viver de utopias. É assim em todo o lado.
A América foi construida por Europeus, sem nós eles não seriam nada do que são hoje. Eles foram e são a terra das oportunidades e nós soubemos aproveitar as mesmas. Sem mentes brilhantes que floresceram na Europa nada do desenvolvimento cultural americano seria o que é hoje.
Em termos políticos eles dão uma lição ao mundo e aprimoraram o método democrático. Há que lhes dar os parabéns pela forma como a política decorre naquele país. Nas questões tecnológicas, os Estados Unidos são apenas a sede das maiores multi-nacionais, mas na liderança, das mesmas, estão russos, israelitas, europeus, indianos, entre outros. Exemplo mais premente que o "Google" é impossível. Quem os lídera são um russo e um israelita. Mas quanto a tecnológia apesar dos pregões americanos acho que o Japão lidera com alguma margem, certos aspectos tecnológicos. Em termos culturais e sociais, os Estado Unidos não dão lições a ninguêm, tem extremos de gente pobre e gente muito rica, assim como uma taxa de analfabetização alta.
Quanto ao que apregoam de serem os melhores do mundo em termos militares, etc, etc. Isso é nos filmes. O vietnam já lá vai e os soldados americanos foram dissimados sem dó nem piedade. Porquê continuar a falar no vietnam? Mais importância tiveram os EUA na II grande guerra, mas nisso não lhes denoto grande orgulho...
Portanto, a minha visão não é de anti ou pró americanismo. Apenas tento aproveitar o que eles dão de melhor ao mundo.

"Yes, He Can"

O mundo respira após a eleição de Barack Obama. Obama conseguiu uma eleição sem mácula, com um percurso fantástico. A américa mostrou hoje que pode dar lições ao mundo sem impor o seu poderio bélico. A américa, país que lidera revoluções tecnológicas, políticas, sociais e económicas, mostrou que é capaz do pior e do melhor. Ontem mostrou-nos o melhor. Volvidas cerca de 4 decádas dos tumultos que colocaram um ponto final a diferença entre pretos e brancos, Obama entra para a história como o primeiro Afro-Americano na Casa Branca. Hoje, D.ª Rose, a primeira afro-americana a sentar-se nos lugares da frente de um autocarro e que deu início a uma revolução cultural, assim como Martin Luther King, o expoente máximo dessa revolução, deveriam rejubilar com estrondosa vitória. Sempre fui céptico em relação ao americanos e terei sempre uma costela anti-americana, mas hoje, aplaudo todos aqueles que contribuiram para a mudança, uma mudança que se espera mude o Mundo... Obama diz: "Yes, we can". Nós podemos, ele pode. Nós conseguimos colocá-lo lá, ele pode, agora, com o nosso apoio tentar mudar a face da América e a face do Mundo.


Parabéns Obama, Parabéns América!!!

terça-feira, novembro 04, 2008

Gato(s) em grande

Chamaram-me a atenção para estes 2 sketches verdadeiramente deliciosos. Os Gato são os maiores!

Paulo Bento



Carlos Queiroz/Scolari

Suspenso II

Também eu aqui formulo votos para que Obama seja o novo Presidente dos Estados Unidos da América, essa grande nação, baluarte da democracia, liberdade e prosperidade. Yes, he can!

Suspenso

O mundo está em suspenso. Hoje, ficaremos a conhecer quem será o homem mais poderoso do mundo; o próximo Presidente dos Estados Unidos. Uma coisa é esperada, que este mude as políticas seguidas durante estes últimos oito anos que deixaram o mundo como hoje o conhecemos, perto da ruptura. Esperemos que o próximo Presidente tenha uma postura mais social e uma política externa baseada no dialógo e não na força bruta. Que chame a si os grandes problemas americanos e que os resolva sem demora, porque a america quer queiramos quer não é o coração do mundo. Neste momento está a ter um "enfarte" e todos sentimos...
Que venha um novo presidente, se possível que seja Obama!!!

domingo, novembro 02, 2008

Engraçado

Achei engraçado pegar numa das melhores músicas de sempre e toca-la ao "old fashion style" dos Beatles.

Porque Mccain não pode ganhar

Porque a América não se pode dar ao luxo de ter uma vice-presidente menos dotada e preparada que Bush, por muito que eu aprecie Mccain (apesar de ser por Obama).
Senão vejam esta prank call que uns humoristas canadianos fizeram à candidata republicana à vice-presidência. Fizeram-se passar por Nicolas Sarkozy, Presidente francês, e o resultado não poderia ser mais hilariante.

Escola

Contava-me a minha mãe ontem ao almoço que há uma série de pessoas conhecidas que andam a pôr os seus filhos em escolas/colégios nos arredores de Esposende (Porto, Póvoa, Braga) em prol de um ensino de grande qualidade para os seus geniozinhos.
Um caso paradigmático sucedeu na António Correia de Oliveira. A Direcção lembrou-se de instituir prémios para os melhores alunos (e bem!). Então houve uma aluna X que por força das notas venceu o prémio. A mãe da aluna Y não tendo gostado, reclamou, protestou, fez barulho, e o Ciclo acabou por reconhecer a validade dos seus argumentos. Vai daí, também atribuiu o prémio à aluna Y. A aluna X, tendo sabido do sucedido (e note-se que nunca lhe retiraram o prémio nem puseram em causa o mérito do mesmo) entrou em estado de choque e disse não querer mais voltar a estudar em Esposende, nem na António Correia de Oliveira. Os seus papás, muito consternados com a situação, trataram de a transferir para Braga.
Se há coisas de que tenho muito orgulho na vida, foi de ter estudado em Esposende, e nas suas escolas públicas. Tive grandes professores, pessoas que me marcaram, e nunca senti estupidificar-me ou embrutecer-me com o nível de ensino lá ministrado.
Casos como o da aluna X, ou de outros que vão para Póvoas e Bragas julgando lá ter um ensino bem superior ao dos coitaditos que ficam desterrados em Esposende, só me dão vontade de rir.
Se é desta maneira que os papás pensam formar e preparar os seus filhos para a vida, lamento desiludi-los mas não. A aluna X com o mimo e birra revelados, há de ter mais casos como este pela vida fora, e aí como vai ser? Toca a transferi-la de novo? Quanto aos que vão para escolas/colégios de fora, tal não é sinónimo de se tornarem génios. Um aluno bom será sempre bom em escola pública ou privada, e o inverso também. Quanto muito, poderá ser ainda melhor por força do ensino no privado, mas a minha experiência em Esposende diz-me que o ensino lá ministrado não fica nada a dever às melhores práticas do privado.

Liedson

Estreou-se ontem à noite a marcar na edição 2008/2009 da Liga Sagres.
É o terceiro golo que marca esta época, no total das competições, e pela 3ª vez, é graças ao seu golo que o Sporting garante mais uma vitória. Não há palavras. Levezinho é, indiscutivelmente, o melhor avançado a jogar em Portugal, e um dos melhores de sempre da história do Sporting.
Sobre o seu ingresso na Selecção nacional, parece-me que será inevitável. Portugal não tem nenhum avançado que consiga marcar a diferença, e Liedson é esse avançado. Não o reconhecer, será o conformismo com a situação actual da Selecção.
Já escrevi aqui que por princípio, Portugal não deveria admitir jogadores naturalizados. Mas aberto o precedente, não há que criar naturalizados de primeira e naturalizados de segunda.
Gilberto Madaíl em entrevista a um diário desportivo de ontem, dizia que a entrada de Liedson, apesar de nunca colocada pelo Seleccionador nacional, viria descaracterizar a Selecção. Questionado com as diferenças para os casos "Deco" e "Pepe" respondeu Madaíl que eram casos bem diferentes, dado que nunca nenhum desses jogadores disse querer jogar na Selecção do Brasil. Já Liedson sim.
Ora, se a memória não me falha, Deco afirmou por várias vezes querer jogar na Canarinha e só veio para a equipa das Quinas porque definitivamente nunca iria chegar à Selecção Brasileira. Por isso, acho que a justificação de Madaíl, para além de precipitada, foi infeliz.
E não custa muito adivinhar a pirueta que Madaíl dará daqui a uns meses, quando Liedson já for cidadão português. Não acreditam?

quinta-feira, outubro 30, 2008

Blá Blá Blá na capital

Foi ontem à noite que aconteceu a primeira incursão dos Blá Blá Blá por Lisboa, a capital da música portuguesa (o Felgueiras talvez discorde...).
Music Box, ali no Cais do Sodré. Um espaço agradável, com boa munição de equipamentos musicais, pena foi não estarem mais do que 30 pessoas, por aí.
Em todo o caso, uma breve mas sólida actuação da banda esposendense, que agora em Novembro terá agenda preenchida mas por terras nortenhas. Quanto a Esposende, um regresso apenas a 7 de Dezembro, no Burburinho.
Foi bom rever aquela malta toda, que já não via há largos meses, e de permeio o desejo de retomarem um oldie dos Minoria Absoluta, a Átomo. Concordei, visto ter sido uma das boas malhas que saíram da Garagem do 26, e que não merece ficar na prateleira por tempo indeterminado.
Em todo o caso, ficou novamente o ensejo de voltar à Garagem e tocar uns oldies com a malta. Oldies e uns meddleys U2nianos sacados plo little boy também.

quarta-feira, outubro 29, 2008

:D

Os almoços com a Teresa começam a ganhar uma aura especial, pois a cada um que acontece, há uma novidade extraordinária para contar.
Depois desta aqui há uns bons meses atrás, hoje fomos agradavelmente surpreendidos pela notícia da vinda de um rebento a caminho. Não poderia ter sido maior a festa entre os presentes. Afinal de contas, os filhos dos nossos (grandes) amigos acabam por ser os nossos sobrinhos também. E neste caso particular, maior significado ganha, pois trata-se da minha primeira grande amiga a ter um(a) filhote(a).
O nascimento está previsto para meados de Abril. Melhor mês para vir ao mundo não poderia haver hehe.

terça-feira, outubro 28, 2008

Adeus

Hoje a casa ficou mais vazia. Hoje, ao entrar em casa sentiu-se a falta dela a receber-nos com a sua "ternura". São, sem sombra de dúvida, animais com uma dedicação enorme aos seus donos. São eles que muitas das vezes nos alegram com as suas brincadeiras, são eles que fazem, também, parte da nossa vida. Fizeste parte do meu crescimento, fizeste parte de 15 anos da minha vida. 15 anos é muita coisa, vi-te crescer, brincamos e dei-te toda a atenção que podia dar. Morres-te da melhor forma que se pode morrer, se é que existe melhor forma. Não sofreste!!!
Serás sempre recordada.


Hoje a casa ficou mais pobre. Adeus "kikas"...

Muito bom

Letter sent to a bank's CEO

Dear Sir

In view of current developments in the banking market, if one of my
cheques
is returned marked "insufficient funds", does that refer to you or to
me?

Yours faithfully

Joe, the plumber

segunda-feira, outubro 27, 2008

Pureza... Falei demasiado cedo!!!

Falei que iria ver o Esposende, para sentir alguma pureza do futebol. Pois eu senti isso na maneira como os nossos jogadores batalharam para levar de vencida a equipa do grupo desportivo Águias da Graça. Senti a força que impunham dentro do campo e por momentos senti que a o amor a camisola era verdadeiro. O problema foi o trio de arbitragem. Erros atrás de erros, um roubo que nem tentou ser disfarçado de qualquer maneira. Fomos vilipendiados em nossa própria casa (sempre gostei da palavra vilipendiados, proferida sempre com mestria pelo antigo director de comunicação do benfica). Aceito de tudo, menos gozar com a nossa cara. Golos mal anulados, vermelhos que ficaram por mostrar, vermelhos mostrados a jogadores do esposende, fora de jogo escandalosos, penalti inexistente no último minuto, expulsão de metade da equipa técnica. Uma vergonha, uma vergonha. se houve dias em que fiquei extramente enervado no futebol, esse dia foi ontem. Ainda para mais a equipa técnica adversária ajudava à festa. O massagista da outra equipa teve atitudes nada, mas nada profissionais, insultado a equipa do Esposende e os próprios adeptos. Tinha vergonha de ser tão mau profissional do futebol, assim fosse o caso. A dualidade de um jogo, a força e o querer imposto por uma equipa em oposição ao roubo e anti-desportivismo de outra...
No final, 2-3 para o águias da graça. É injusto perder assim e é difícil remar contra a maré.
Força Esposende!!!
P.S. - Fica aqui o endereço do recém criado site da A.D.E.

domingo, outubro 26, 2008

Brincar com os adeptos...

Toda a gente sabe que sou adepto do F.C.P., já vibrei mais com as suas conquistas, já me desiludi mais com as suas derrotas. Com o passar dos anos, o futebol foi perdendo muita da sua mística, já não existem jogadores com um amor irredutível pelo seu clube, que permanecem anos a fio e que contribuem para um balneário coeso e que no fundo são os verdadeiros timoneiros do mesmo. Lembro no FCP o Jorge Costa e o João Pinto. Agora os jogadores vendem-se como coelhos nos mercados municipais, como se de uma mercadoria se tratassem e chegam mesmo a dizer que são "escravos". Não me consigo identificar com este tipo de futebol, em que o amor à camisola há muito morreu e foi enterrado. Sinto um vazio no futebol... Não é de agora, mas sim de há vários anos para cá.
As derrotas do futebol clube do Porto nestes últimos jogos vêem deixar a nu todas estas questões. É, para mim, a equipa do Porto mais desiquilibrada dos últimos anos, em que todos jogam para si e não funcionam como equipa. "Cebola" está a ser um floop e um floop muito caro. Um floop que não deve estar a causar bom ambiente no balneário devido a Pinto da Costa ter literalmente aberto as pernas para o tirar ao rival Benfica. Jesualdo Ferreira, apesar de nunca ter sido um treinador brilhante, neste momento perdeu a mão nos seus jogadores e está num barco à deriva.
Mas a coisa que me custa mais a digerir é a questão levantada por Bruno Alves após a derrota com o dínamo de Kiev. Em entrevista a Bola Branca da RR, disse que "os jogadores ainda estão em fase de adaptação ao clube e ainda precisam de entender a filosofia do Porto...". Ora isto para mim é como uma faca no coração. Jogadores que ganham cerca de 10 vezes ou ainda mais por mês que eu, ainda não se adaptaram ao Porto? Sem nenhum tipo de armanço, eu tive de me adpatar a novos métodos de trabalho, novas pessoas e novas filosofias em menos de nada com esta troca de empresa; e os jogadores de futebol, com uma pré-época, quase 2 meses de campeonato nacional ainda não se adaptaram? Mas isto é gozar com os adeptos? Ou são maus profissionais ou têm algum tipo de problema em se ajustar a mudanças. E segundo a selecção natural, os mais fracos tendem a definhar e os mais fortes a dominar. Portanto, ou muita coisa muda ou o FCP não vai longe...
Portanto, hoje vou ver o Esposende, onde ainda se sente alguma pureza de futebol!!! Será?

quarta-feira, outubro 22, 2008

Deolinda

Lufada de Ar fresco na música portuguesa. Uma mistura de fado, jazz e uma pitada de bossa nova. Um cd que tem rodado vezes sem conta na aparelhagem. Ana Bacalhau como vocalista deixa-nos presa pela sua voz melódica e lindíssima; muitas das vezes fazendo recordar a voz da Teresa Salgueiro dos Madredeus. O acompanhamento de guitarra e contra-baixo é muito equilibrado e dá sem dúvida um toque especial. O arrojo da não utilização de uma guitarra portuguesa teve muito sucesso. O nível musical é altíssimo e este ano será dificil alguêm conseguir um álbum assim tão bom.
Acima de tudo é um álbum divertido. Audição obrigatória.
Nota final de 0 a 10: 9.5 (nota muito alta)
P.S. - Quem gosta de fado, de "Madredeus" e de "Ala dos Namorados" vai certamente adorar os "Deolinda"

sexta-feira, outubro 17, 2008

Muito bom

Este post do Bruno Nogueira.

quinta-feira, outubro 16, 2008

As coisas que o meu povo gosta

Portugal empatou contra a Albânia. Resultado miserável.
Ainda ontem, antes de ir para as aulas da pós-graduação, dizia em resposta a uma amigo, quando perguntado sobre quanto iria ficar logo à noite, que abaixo de 4 era derrota. Pois, nem um golinho entrou para o fundo das redes...
Não vi o jogo mas pelo que me contaram foi uma exibição muito pobre, e Queiroz pelos vistos continua a teimar com opções de tacticismo muito discutível.
Ao cabo de 4 jornadas apenas, chegamos à posição de ter de puxar novamente da calculadora, e fazer contas à vida, que isto do apuramento não está nada fácil.
Diz o povo na sua sabedoria que atrás de mim, virá quem bom de mim fará. Os jornais não perderam tempo, e a capa de "A'Bola" de hoje é exemplar disso. Volta Scolari, que estás perdoado. Há contas por resolver, e os "amigos" de Scolari não querem desperdiçar a oportunidade surgida agora de ajustar algumas contas..
Acho que este é o tipo de coisas que em nada ajuda a Selecção neste momento, e só serve para criar mais gritaria e, com isso, reflexamente, desestabilização. Mas enfim, este é também um desporto que muitos portugueses apreciam.
Pessoalmente, continuo a achar Queiroz a melhor opção para a Selecção, e com o naipe de jogadores que temos, acredito que poderemos cumprir com os mínimos. Por isso não vou embandeirar nesta mini-crise que muitos querem dar uma amplificação muito maior do que aquela que ela realmente merece (se é que merece alguma. Queiroz não me parece teimoso como Scolari, e certamente, espero, que não voltará a incidir no erro Hugo Almeida, ou em 3 médios de valor igual para o 11 inicial).
Vamos aguardar então que até Março a poeira assente e Portugal possa então levar de vencida a Suécia.
P.S: apesar de achar pouco patriótico a discussão do lugar de Queiroz nesta altura, ele há coisas que têm a sua graça. Em provocação ao Felgueiras "volta Scolari, que estás perdoado?", responde o little boy com piada "Se o Scolari era o burro, o Queiroz deve ser a vaca".

terça-feira, outubro 14, 2008

Politik

O Diário Digital noticia hoje que a Comissão Política do PSD de Esposende apoia a recandidatura de João Cepa à Câmara Municipal para um 3º mandato, ele que se encontra à frente dos destinos da Casa Grande desde 1998.
Em termos gerais considero que João Cepa tem sido um bom presidente. A título de exemplo, as obras de requalificação das zonas marítimas/ribeirinhas de Apúlia, Fão e Esposende, que estão um primor; e o facto de Esposende ser das cidades mais limpas do país, tendo tido resultados muito bons nesse campo. Em conclusão, João Cepa tem feito um bom trabalho.
E será isso merecedor de uma recandidatura? Concerteza que sim. Contudo, acontece que João Cepa leva já uma década como mayor da cidade, o que entendo como um lapso temporal mais do que suficiente e desejável. Uma década dá para traçar um rumo, executar um plano e fazer obra. Depois disso, fica complicado arranjar motivação. Já se sabe o que a casa gasta. Daí a importância da renovação. Fecha-se um ciclo, abre-se um novo.
Entendo que João Cepa deveria recusar este apelo para uma nova corrida. A sua experiência autárquica acumulada poderá e deverá ser aproveitada para outras áreas. E sempre fica melhor sair em grande, pelo próprio pé, do que pelas traseiras da casa, em queda.
Era importante para o PSD, e bom para Esposende, que as novas eleições fossem pretexto para uma renovação de geração.
Mas tenho consciência que o apelo do conforto do lugar controlado poderá parecer mais conveniente do que a sedução da mudança na orientação profissional...

Genial


Quando o humor toca a genialidade, poucas palavras restam para dizer!

Perdida incrível

Acontece aos melhores.
Faz-me lembrar tempos remotos, em que também falhei uma assim parecida. Com a diferença que não era jogador profissional, nem a minha hora em campo valia €€€€.

Evidência

Será que deram por ela? Reparem que os assaltos em Portugal diminuiram e os carjackins também. A televisão esqueceu-se deles? Será que a crise também chegou ao sector? Eu tava a pensar virar "car jaquim", mas parece que já não vale a pena... Melhores dias virão!!!

Bolas para a Bolsa

Que estamos em crise já todos sabemos. Que a volatilidade do mercado não para de fazer das suas é uma evidência. Mas será que agora os mercados bolsistas vão começar uma subida desenfreada? Se for assim fico muito lixado... Não comprei acções, portanto não ficarei rico... Bolas, bolas, bolas!!!
Será que ainda vou a tempo?

sexta-feira, outubro 10, 2008

Nova vida

Muito boa tarde caros leitores.
(É pá nunca comecei assim um Post, até dá um ar todo pimpão à coisa, parece todo cheio de salamaleques, é bonito... Acho que vou continuar nesta toada.)

O vasto auditório deste blog, aquele mais atento, deve ter reparado que no menu aqui do lado direito sofreu uma pequena alteração na entrada da "Labuta". Pois é caro auditório, aqui o little boy mudou de emprego. E aqui o senhor não faz por menos, quando muda é para ser em grande e não mudou para uma mas sim para duas empresas. Sim, não há cá mariquices (pronto, agora dei cabo da toada formal que estava a ter até agora), é para ter desafios? Têm de ser coisas em grande. Aqui o menino mudou-se para uma das maiores empresas portuguesas a nível de sistemas de informação, a Novabase. Como se não chegasse, mudou-se também para uma multinacional, a Qimonda. Serei um consultor (que estaleca :) ) da Novabase no mundo Qimonda... Um novo desafio que está a ser bastante gratificante. Tenho aprendido imenso em apenas duas semanas que tenho aqui no estaminé do qual estou a escrever (é um momento de pausa, volto já ao trabalho). Ter de escrever em inglês, ter de contactar com alemães, americanos, indianos e chineses está a ser uma aventura. O meu manancial linguistico em inglês está a aumentar exponencialmente, sem dúvida.
Qualquer dia começarei a escrever os posts em inglês, quem sabe... Vamos aderir à globalização e tornar este blog, um blog do mundo, que acham?

Por agora é tudo.
Best regards (brincadeirinha)

quinta-feira, outubro 09, 2008

Como no Vietname

Ficaram célebres aquelas declarações de Jaime Pacheco, nas vésperas de um confronto importante do Boavista, já não me lembro é com quem, em que dizia que queria que os jogadores entrassem em campo como se fossem pro Vietname.
Enfim, o Boavista destacou-se pelo mau futebol, por um futebol viril, mas, valha a verdade, Pacheco conseguiu que a equipa desse luta pela Europa fora. Pelo menos, a nível de Champions, o Boavista fez muito melhor que o Sporting.
Agora Pacheco prepara-se para assumir o comando técnico do Belenenses. Parece que já deu ordem de promoção aos irmãos Mateus, ahah.
Bem, mas fora de brincadeira, é com pena que vejo um clube pelo qual noto simpatia, e que ainda há pouco tempo dava cartas com Jesus ao leme, agora mudar pra Açaime Pacheco. Prevê-se muita porradinha pelos lados do Restelo...

quarta-feira, outubro 08, 2008

Economia Actual

Imaginem só:

Se tivessem comprado, há um ano, 1000 euros em acções da Nortel Networks, um dos gigantes da área de telecomunicações, hoje terias 59 Euros...

Se tivesses comprado, há um ano 1000 euros em acções da LucentTecnologies,, outro gigante da área de telecomunicações, hoje terias 79 euros...

Agora, se tivesses comprado, há um ano 1000 euros da Sagres (em cerveja, não em acções), tivesses bebido tudo e vendido as garrafas vazias, hoje terias 80 euros...

Conclusão:No cenário económico actual, perdes menos dinheiro se ficares sentado a beber Sagres o dia inteiro... O grande senão era a barriga que ias ganhar...

domingo, outubro 05, 2008

Fraquinho


O jogo desta noite.
E o Sporting a perder no confronto directo com os rivais. Paulo Bento que se cuide...
E aquela de tirar o Postiga não lembra ao diabo...

sábado, outubro 04, 2008

(...)

Em vésperas de ida a Alvalade, uma sintomatologia de crise esternutatória. Espectáculo, era tudo o que precisava! Felizmente que já se tá a atacar.



Para já, resultou impecavelmente bem.

terça-feira, setembro 30, 2008

Parabéns

Muita gente a fazer anos hoje. Avô, Tiago Mascarenhas, Pedro Almeida a.k.a Gato. Parabéns!
Parabéns também para a Patrícia que concluiu com sucesso o seu curso de Economia. Num momento de grave crise internacional, uma ajuda que chega a tempo de (poder) salvar alguma coisa :)

domingo, setembro 28, 2008

O adeus

Chegou a hora…

Tudo que tem um início têm um fim. Esse fim chegou… Cheguei ao final de uma jornada, para começar outra logo de seguida. Ontem abandonei o meu local de trabalho nos últimos dois anos, para me lançar num novo desafio, que espero seja gratificante. Acima de tudo a MdeMáquina ofereceu-me crescimento profissional e por isso estou agradecido, sem isso não estaria certamente nesta posição. Ofereceu-me camaradagem, acima de tudo. Trabalhei com pessoas impecáveis. Tinha uma equipa de luxo, que se desdobrava em trabalho para alcançar objectivos, mas sempre com muito humor à mistura. Nunca serão esquecidos os nossos almoços, sempre salpicados de vários tipos de piada, que muitas das vezes chegavam a descambar para temas menos próprios. Nunca serão esquecidas as idas ao Algarve, com diversas peripécias, das quais será sempre destacada um telefonema no mínimo surreal e que deu para vários km de boa gargalhada. Nunca serão esquecidas muitas reacções inesperadas por muitos elementos da MdeMáquina. Sem dúvida havia e continuará a haver um bom ambiente, e sem dúvida fico com grandes e bons amigos.
Mas existem ciclos que se fecham para dar lugar a outros, tal como depois do inverno surge a primavera. Espero que a minha “primavera” esteja a chegar, com certeza que terei sempre um “verão” no horizonte. É uma nova etapa, será uma “Novabase”. Irei com tudo o que posso oferecer para lá, e espero que também me ofereçam tudo aquilo que mereço para desenvolver um bom trabalho.

“Dêem-me uma alavanca e levantarei o mundo”

Os que ficaram para trás nunca serão esquecidos e certamente nunca perderemos o contacto. Os que virão espero que tenham pelo menos o mesmo espírito de camaradagem dos anteriores.
A todos e em especial à Equipa Navia, um grande abraço.

Ferrol

Buenas Tardes. Este é o meu primeiro post em solo estrangeiro. Mais precisamente de Ferrol, Galiza, Espanha.

Um lugar bonito pelo que me pude aperceber, só consegui descobrir mais durante a tarde de ontem e durante a tarde de hoje, mas do sítio onde estou alojado deslumbra-se o mar, o porto, o mercado e uma das zonas mais movimentadas aqui da cidade.
É claro que têm um senão… Estou em Espanha!!!

Estivéssemos nos em meados dos anos 1100, e eu pegaria numa espada para lutar ao lado do nosso fundador, e certamente lhe diria para conquistar esta zona norte de Espanha…

Pra recordar

O concerto de Rui Veloso, ontem à noite, no Coliseu do Porto.
O desfiar dos grandes êxitos "Lado Lunar", "Não há estrelas no céu", "Nunca me esqueci de ti", "Porto sentido", "Porto Côvo", "Postal dos correios", "Jura", numa toada acústica, em que o intimismo entre o cantor e o público esteve irrepreensível. Tempo ainda para esta surpresa. Muito bom!



Nunca tinha visto o Rui Veloso, tirando uma tertúlia em Lisboa na qual brindou o público com 4 temas, e lembrei-me que deve ser o único grande cantor que falta passar por Esposende. À atenção da Casa Grande.
De resto, um Senhor em palco. Teve o público na mão, mas o público também não lhe deu margem para não brilhar, e foi uma noite muito bem passada.

Pra esquecer

Só vi a 2ª parte apenas, e a partir dos 50 e poucos minutos deixou de haver Sporting. O Benfica mandava no jogo, e em 5 minutos fizeram 2 golos. Não deram hipótese. Perdemos bem. Mas não deixa de se sentir a tristeza, porque continuo a achar que temos muito melhor equipa que os lampiões, e são vitórias em jogos destes que arrasam os adversários. Mas foi o contrário. Ganhou o adversário, que agora ganhou grande capital de moral, e o Sporting não se conseguiu distanciar.
Mas pronto, no próximo domingo alguém há de pagá-las...

sábado, setembro 27, 2008

o Jogo

Este é, indiscutivelmente, o Jogo dos jogos do futebol português.
Por muito que nos últimos 15 anos o Porto seja o inimigo a abater, um Sporting-Benfica ou Benfica-Sporting é sempre aquele jogo que mexe mais com o país, as emoções dos adeptos, e de que se fala mais. Tudo o resto são peanuts.

Livestrong


Já por diversas vezes referi a enorme admiração que tenho por Lance Armstrong, indiscutivelmente um dos meus ídolos do Desporto.
Depois de ter saído em grande da sua carreira, o ciclismo entrou num grave depressão de que não se vislumbra tão cedo uma saída airosa. Por muito eficaz que esteja a ser o combate anti-doping, os batoteiros parecem estar sempre um passo à frente. E enquanto não se apanhar a passada, os escândalos parecem não ter fim.
A verdade é que nos últimos 3 anos tenho andado desligado da modalidade. E esta já não parece ter o encanto doutros tempos. Mas deixar de gostar de ciclismo? Nunca!
Lance Armstrong, talvez o maior ciclista de todos os tempos, vendo a sua modalidade entrar nesta espiral de auto-destruição, decidiu voltar a entrar em acção e recuperá-la, com o propósito de voltar a pôr a luta contra o cancro na ordem do dia!
É mais uma demonstração de afecto extraordinário deste grande campeão. Nada nem ninguém o obrigava a tal, mas sentindo a necessidade de voltar a pôr o ciclismo nas bocas do mundo, pelas melhores razões, decidiu que tinha de fazer alguma coisa.
Diz o povo na sua sabedoria que não se deve voltar a um lugar onde se foi feliz. No entanto, para Armstrong não é o 8º Tour que o move, mas sim a re-credibilização do ciclismo e, sobretudo, dar um novo ânimo àqueles que diariamente combatem o cancro. Consegui-lo já terá valido a pena o regresso!

sexta-feira, setembro 26, 2008

School Of Rock

Por estes dias recordei um filme muito engraçado que estreou em 2003. O filme que falo chama-se School of Rock e acção desenrola-se em torno de uma turam de um colégio privado e o comediante Jack Black, que se faz passar por professor, mas que na realidade é um rock addicted. Forma uma banda com miúdos com grande talento e consegue entrar num concurso de prestigio, alcançando assim o seu sonho. Um filme engraçado, com bastantes peripécias e com boa música à mistura.


Invasão

Hoje, uma comitiva portuguesa invadirá as terras de Norte de Espanha. Levaremos a alma lusitana a terras da Galiza, e elevaremos bem alto o nome de Portugal.

Valores muito alto se elevam e é por mui nobre causa. Os invasores irão resgatar suas donzelas e dar-lhes um fim de semana com toque Português.



D.Afonso Henriques, os teus descendentes não te deixaram mal...

Estoi com ganas!

quinta-feira, setembro 25, 2008

Bater no Fundo

Por estes dias estreou um novo programa na Televisão Portuguesa. Como tudo o que é mau, este programa ganhou já uma grande notoriedade, sendo alvos de criticas mordazes e alvos de elogios. Os elogios dispensavam-se perante tamanha falta de senso comum, tamanha falta de cultura. O que não falta a este programa é arrojo. Arrojo por parte da SIC, que contribui que um pais cada vez mais afastado dos seus costumes e cada vez mais com défice de educação social continue num percurso descendente. Arrojo por parte dos participantes em devassar a sua vida privada perante a sua própria familia e perante aqueles que os acompanham no estúdio e na própria televisão. Por vezes ao ver o festival da canção apetece-me cortar os pulsos. Perante isto o festival da canção é um programa de uma cultura invejável e merece tudo aquilo que os portugueses possam dar...
Ouço várias crónicas feitas por comediantes na rádio, principalmento pelo Bruno Markl na Antena 3 e por Bruno Nogueira na TSF. Com o seu bom humor fui-me apercebendo que existem perguntas com teor espectacular neste programa. "Queria ter um pénis maior?", "Tem orgulho do seu filho?", "Tem rancor do seu filho por ter estragado o seu carro?". Obviamente que esta pessoa saiu de lá muito mal vista ao responder, sim as duas primeiras e sendo verdade e não a ultima, sendo mentira e perdendo todo o dinheiro. É um homem que têm uma estima por si muito elevada, mas acima de tudo é daqueles pais que todo o filho gostaria de ter. Um pai há maneira. Poupem-me a estas coisas. Por favor. Poupem a nossa sanidade mental...
Nunca vi o programa, mas ontem fui surpreendido por existir um painel de comentadores ao programa em si e às respostas dos concorrentes. Parei por ali para ver no que aquilo dava.
E deu merda, desculpem o termo, deu merda e da grossa.
Painel de comentadores composto por Luisa Castelo Branco, por Claúdio Ramos e por Nuno da Câmara Pereira. Exterior Nuno Eiró. Apresentadora, Rita Ferro, que eu até pensei que teria um certo nível, mas que aqui desceu muito na minha consideração.
Entre tropelias, malavarices e outras, ficou uma frase muito bonita dita por Nuno da Câmara: "Quando andava na tropa fiz sexo em grupo".
Eu nem quero saber com quem, mas uma frase destas causa impacto.
Lanço daqui o repto para que se faça circular uma petição para acabar com o programa. E não, não é por causa da Teresa Guilherme, é mesmo porque aquilo é muito mau. Batemos nos Fundo!!!

quarta-feira, setembro 24, 2008

Pop Art


Esta imagem não precisa de qualquer tipo de comentário.


Por falar em PopArt, vou decompor a palavra, e separar a arte da pop, e vocês perguntam... Mas porque? Ao que eu respondo, "Para dar continuidade ao assunto". Assim, falando de arte musical, a rainha da Pop (reparem só na sequência de ideias), Madonna, este em Portugal para um grande concerto. Ao que parece Madonna dedicou determinadas músicas a personalidades portuguesas. Infelizmente essas não compareceram ao concerto.
Dedicou a sua "Material Girl" à Manuela Ferreira Leite. Esta em "entrevista ao uma espécie" disse que não se deslocou ao resinto do concerto porque está velha demais para isso e já não aguenta o barulho. Além do mais disse ainda que tinha de cuidar dos netos que nessa noite ficaram a seu cargo. Em jeito de brincadeira disse que um deles tinha feito um desenho muito bonito que poderia ser o próximo símbolo do PSD.
Dedicou depois a "La Isla Bonita" a Alberto João Jardim. João Jardim não tardou em devolver o a dedicatória e disse que estaria disponível a fazer parte de um espectáculo da Madonna. Madonna reagiu depois dizendo que aberta a essa proposta, se Alberto João se marcarasse como faz no Carnaval Madeirense e tocasse bombo.
Por fim e já no encore dedicou a sua música mais consagrada, "Like a Virgin" à Luciana Abreu (Floribella), que chamou ao palco, para a beijar, mas Lucy também não se encontrava no recinto. Lucy ao que paree estava a gravar o seu novo programa e disse que era uma menina boazinha e muito pobrezinha e que não podia ir a este tipo de espectáculo.

Camada do Ozono

Ontem aqui no estaminé falamos de sustentabilidade do planeta e de melhoria na produção energética para reduzir a emissão de CO2 para a atmosfera, que provoca a degradação da camada do ozono e um aumento do buraco de ozono.
Acontece que ao que parece a GreenPeace diz que Portugal foi o país que mais contribuiu para o aumento do buraco do ozono. E apresentam as principais razões para isto acontecer.
Ao que pudemos apurar foram as seguintes:

- Os falhanços do Nuno Gomes – cada vez que Nuno Gomes falha um golo 6 milhões de portugueses fazem “aaaaaaaaahhhhhhhh”, nestes períodos a temperatura do planeta chega a aumentar 3º


- O aumento do Carjacking – os arranques rápidos dos ladrões tem contribuído e muito para as emissões de CO2


- Música pimba – a repetição constante de refrões de música pimba emitem para a atmosfera ondas sonoras que funcionam como berbequins na camada do ozono.


Portanto, parecem estar em curso certas medidas para reduzir as os efeitos nefastos destas causas. Ao que também pudemos apurar, o Nuno Gomes deverá ser abatido a tiro, durante o jogo contra os napolitanos, pela camorra. Os carros de alta cilindrada serão modificados para ter um arranque mais suave durante os assaltos por carjacking. Quanto a música pimba, o emanuel, tony carreira e por ai fora serão colocados em campos de concentração com mordaças e televisões que durante o dia todo passaram episódios dos Teletubbies, alternando com alguns episódios da Floribela e umas pitadas de Teresa Guilherme ao estalo com a Julia Pinheiro.


Vamos salvar o ambiente, vamos tomar medidas rápidas.

Catano... (Para não dizer outra coisa)

Mais um dia de trabalho, que começa de uma forma desagradável. Na viagem entre Esposende-Porto, fiquei sem a protecção de motor do carro, uma peça em fibra por debaixo do motor, porque algum condutor menos atento, deixou cair uma peça metálica do carro ou camião que conduzia. Como não consegui desviar, para não provocar nenhum acidente, visto estar ladeado pelo rail e por um carro, pimba, aqui o joãozinho é que se lixa. Primeira vez que vesti o colete reflector amarelo, haviam de ver, parecia um canário no meio da A28. Assistência EuroScut foi impecável, temos de ressalvar isto para uma auto-estrada onde não se paga portagem. E pronto, assim acontece. Agora é tratar do carro, ligar para seguro caso se justifique e provavelmente desembolsar mais uns euros valentes.

Catanoooooooooooo!!!

terça-feira, setembro 23, 2008

Energias Renováveis - Mar

Hoje da parte da amanhã tive oportunidade de privar com diversas personalidades do mundo da engenharia, da inovação em Portugal e Estrangeiro, assim como vários representantes de diversos países (destaco a Austrália). Foi a apresentação de um projecto inovador em todo o mundo e que terá como primeiro parceiro comercial o governo Português. Mais uma vez, Portugal apresenta-se na linha da frente em termos de futuro. E não se trata de um futuro qualquer, trata-se do futuro do nosso planeta, da sustentabilidade do mesmo e do futuro que queremos dar às gerações vindouras. Trata-se de produzir energia de forma limpa, não recorrendo a combustíveis fósseis e tendo emissões zero de CO2. Depois de termos consolidado objectivos no aproveitamento da energia dos ventos, viramo-nos agora para o mar, mar esse que tantas alegrias deu a este povo e que nos fez dar novos mundos ao mundo. Séculos passados apôs a diáspora Portuguesa, nada melhor que dar a conhecer ao mundo novas formas de obter energia. Pois foi isso que se passou hoje de manhã no Porto de Leixões. Foi apresentado ao mundo o projecto Okeános, que permite obter energia eléctrica a partir da energia das ondas, através de uma máquina desenvolvida por agentes ingleses. Do que vi e daquilo que percebi, até porque tenho (posso dizer sem nenhum tipo de ostentação) alguns conhecimentos na área, o projecto está muito bem conseguido e a tecnologia consolidada apesar de sermos pioneiros. Obviamente terá optimizações, mas o Pelamis (máquina que gerará essa energia) está sem dúvida mt bem desenvolvida, com técnicas que já têm um largo desenvolvimento e apoio tecnólogico.
Pude neste aspecto alargar os meus conhecimentos em termos técnicos, mas também em termos linguisticos, porque maior parte da apresentação foi feita em inglês. No final tive oportunidade de falar e debater certas ideias com o "mastermind" do projecto (um inglês) e fiquei deverás impressionado com a sua capacidade. Senti-me um leigo ao lado dele...


Apenas posso saudar e aplaudir todos os que contribuiram para que este projecto tivesse início em Portugal, à Agência de Inovação na pessoa do amigo e Eng. Paulo Cunha, de todos os elementos da empresa Enersis e também ao Governo que mais uma vez mostrou estar empenhado em que este país seja um país de futuro.
Como disse o ministro da economia: "The future starts here, today".

segunda-feira, setembro 22, 2008

É oficial

Chegou há 8 minutos.
Confesso que não é uma estação que me entusiasme por aí além, talvez porque signifique que agora se passam mais horas em casa, porque a rua não vai estar tão convidativa, e as primeiras grandes chuvadas do ano. Salva-se pelo chamado Verão de São Martinho. Se bem que no ano passado houve dias bestiais para além desse Verão de São Martinho.
Em todo o caso, obrigado Verão pelos bons dias de férias, mas quanto a teres sido o melhor dos últimos 10 anos, deixa-me que te diga que isso é tanga.